Airport review: Istanbul Atatürk (IST)

Após dois meses na Rússia, estava indo passar alguns dias em Paris, e ao invés de pegar um voo direto, decidi ir até lá via Istambul. Não me arrependo nem um pouco desta escolha, e quatro horas dentro do aeroporto serviriam de convite aberto para uma visita futura à Turquia.

O voo entre Moscou e Istambul foi longo para padrões europeus, 2 horas e 45 minutos, mas sendo início de uma manhã longa de inverno (e com uma madrugada em branco), foi fácil dormir ali. Viajei pela Turkish Airlines, votada a melhor companhia europeia do ano anterior. Gostei do voo. Achei o avião confortável, e fui muito bem atendida pelo pessoal em solo e no avião. O computador de bordo do avião tinha várias opções de filmes e música, e fui até Istambul assistindo “Singing in the Rain”, um dos meus musicais favoritos.

Detalhe em turco.

Mas a surpresa maior ainda estava por vir. Chegando em Istambul, eu tinha uma dúvida. Será que eu podia apenas esperar a conexão no hall do aeroporto, ou se eu tinha que ir para a imigração. Brasileiros não precisam de visto de turismo para a Turquia, o que seria o meu caso. Estava vendo o fluxo inteiro dos passageiros saindo do meu voo indo direto para a imigração, então vi um guichê imenso da Turkish ali. Fui me informar. Muito cordialmente, o atendente disse que eu podia subir a escada rolante à minha esquerda e esperar a minha conexão ali. Foi um alívio!

Essa escada rolante ficava em um corredor bem estreito. Quem tem claustrofobia ia se assustar um pouco ali, mas a sensação de chegar ao fim dela foi incrível! O aeroporto de Atatürk conserva muito da arquitetura turca, e senti sendo emergida pela escada rolante no centro do mundo. Ao meu redor, estavam pessoas de diversas raças e etnias! Eram turcos, árabes, indianos, asiáticos, europeus, africanos, e até um grupo de pessoas de aparência bem latino americana em um só lugar! Cada um com seu estereotipo! Creio que foi uma das poucas vezes que me senti tão bem vinda em um aeroporto.

Um dos meus hobbies é colecionar souvenirs, e logo parti para uma loja de lembrancinhas e quinquilharias! Eu não tinha nenhum dinheiro turco, e só um Visa Travel Money com um pouquinho de dinheiro, um cartão de crédito internacional para emergências, 100 rublos (o que não é muito), e alguns dólares que iria trocar para Euros em Paris. Gastei meus últimos 8 euros no  Travel Money nessa loja, com artigos da Hagia Sofia e da Mesquita Azul. O aeroporto também tem uma praça de alimentação. Não foi a melhor que já estive, muito menos a pior, mas tinha um Burger King e comi algo rápido.

O meu gate de partida demorou a ser definido. Apenas cerca de uma hora e meia antes do voo os painéis informam isso. Então me dirigi ao tal gate, mas depois de algum tempo, comecei a estranhar ali. Não tinha mais ninguém esperando no mesmo lugar, e conferindo o painel novamente, vi que tinha acontecido uma mudança no gate. O problema era que eu já tinha passado por uma série de revistas e raio-x, e não sabia se podia sair do local. Falei com um funcionário, e ele entendeu a minha situação, e não só ele me informou onde seria o gate real, mas também me levou pessoalmente até lá, e ainda me pediu mil desculpas pelo acontecimento. Não tive como agradecer mais. Mais um ponto que os turcos ganham comigo. :)

Daquela vez, era real. O painel do gate dizia que ali mesmo seria o embarque para Paris, e fiquei ali esperando. Ao lado do meu avião, estava um da Saudi Arabian, e quando mal percebo, vejo um grupo de uns 40 ou 50 árabes indo embarcar. Nada demais, mas me impressionei com a vestimenta deles! Mulheres vestidas da cabeça aos pés, e os homens com uma outra roupa típica, e umas sandálias que lembram uma outra japonesa, que possui dois saltos (realmente não sei informar o nome destes). E parecia que a roupa de todos eles era igual. Dentro da minha cabeça eu falava “uau! Incrível!”

Vale ressaltar outra coisa em Istambul. Cheguei de manhã cedo, e estava nevando. Saindo, início da tarde, já havia um sol forte. Vai entender, né?

Logo, embarcamos novamente, e para um voo mais longo, de 3h 40. Voo igualmente confortável, com boa comida e atendimento. Fiquei impressionada com as paisagens vistas do alto. Os Alpes são lindos vistos de cima! Consegui até ver umas cidadezinhas no sopé das montanhas, modéstia a parte. Certa hora, o computador de bordo indicava que estávamos sobrevoando a Suíça, e logo vi uma paisagem que lembrava muito o Lago Genebra. Olhando mais de perto no computador de bordo, vi que realmente estávamos por ali, perto da fronteira da França com a Suíça, e tirei uma foto pra guardar de lembrança. Logo fiquei com vontade de voltar pra linda Genebra!

Vista da Suíça do avião.

Cheguei em Paris, e após esperar um tempo até o câmbio abrir, finalmente pude ir para o hotel! O resto fica em outro post! :)

Acompanhe também:

Airport Review: Orlando Int’l Airport (MCO)
Airport Review: Aeroporto di Milano – Malpensa (MXP)
Airport Review: Flughafen München (MUC)
Airport Review: Flughafen Frankfurt am Main (FRA)
Airport Review: Paris Charles de Gaulle – Roissy (CDG)
Airport Review: Miami Int’l Airport (MIA)
Airport Review: San Francisco Int’l Airport (SFO)
Airport Review: Aeropuerto Internacional de Tocumen (PTY)
Airport Review: Chhtrapati Shivaji Int’l Airport (BOM)
Airport Review: Flughafen Wien (VIE)
Airport Review: Aeroport Sheremetyevo (SVO)
Airport Review: Budapest Liszt Ferenc – Ferihegy (BUD)

Airport Review: Aeroporto da Portela (LIS)

Airport Review: Chicago O’Hare Int’l Airport (ORD)
Airport Review: Ministro Pistarini  – Ezeiza (EZE)

Anúncios

Um comentário sobre “Airport review: Istanbul Atatürk (IST)

Os comentários estão desativados.