Tô indo pra Rússia! E agora?

Essa foi a pergunta que fiz assim quando resolvi fazer meu primeiro intercâmbio na mãe Rússia, afinal de contas jamais tinha viajado sozinha e de cara já ia assim, pro outro lado do mundo! Imagina a reação da minha família ao descobrirem meu destino!

Imagina sair do calor do Brasil direto para -29 graus?

Imagina sair do calor do Brasil direto para -29 graus?

Apesar da história e cultura desse país me chamarem muito a atenção (tornando a minha escolha mais óbvia), eu já teria certeza de que muita coisa seria diferente do Brasil, e cuidados e precauções são sim, muito bem vindos!

  1. Aprender o básico do alfabeto. O russo é um dos idiomas que utilizam o alfabeto cirílico como base. Algumas letras são iguais completamente, outras iguais na escrita e diferentes na pronúncia, e também existem letras totalmente diferentes, e algumas inclusive sem som semelhante à algum som em português. Já escrevi um pouco sobre o idioma russo aqui.
  2. Assine o papel da imigração. Antes de passar pela imigração, é obrigatório o preenchimento de um papel contendo informações sobre você, número de passaporte, onde vai ficar e afins. São duas vias: uma para deixar na imigração ao chegar, e outra ao sair. Geralmente eles dão esse papel ainda dentro do avião, e no meu caso, tive que pegar em uma mesinha por ali. A via a ser entregue é muito importante, não perca! Hoteis e albergues só aceitam o hóspede com a presença desta.
  3. Faça o famoso registro. Desde os tempos soviéticos, os estrangeiros eram meticulosamente monitorados para questões de segurança nacional. Hoje em dia, muita coisa mudou, mas esse hábito do registro ainda persiste. Se planejas ficar mais de uma semana na Rússia, é bom se dirigir aos correios e tirar esse documento.
  4. Passaporte sempre disponível. Caso algum policial venha a te abordar, é bom apresentar o passaporte e o registro de entrada. Não rola esconder o passaporte na pochete que vem dentro da calça, ou andar sem ele por aí.
  5. Cuidado com o dinheiro para troca. Em Moscou isso não aconteceu, mas em outras cidades na Rússia, as casas de câmbio são “seletivas” para a qualidade do dinheiro que você quer trocar. Caso a nota esteja amassada, velha, e até com resquícios de água (!!) eles podem simplesmente não aceitar. É bom de levar sempre notas “bonitinhas”. Uma dica é de trocar a maior parte do dinheiro nos bancos, ao invés de fazer isso no aeroporto.
  6. Leve mais dinheiro vivo que crédito no cartão. No interior da Rússia, poucas lojas aceitavam cartão de crédito/débito, fazendo com que o precioso papel moeda fosse gasto rapidamente. Mesmo em Moscou vi lojas que não aceitavam cartão de jeito nenhum.
  7. Fique atento nas temperaturas. A Rússia é um país com invernos gelados e verões quentes. Mesmo assim, de vez em quando a natureza prega umas peças, deixando o verão não tão quente assim. Se for viajar no verão, é bom ter roupas leves, mas um casaquinho na bolsa não fará diferença. Se for viajar no inverno, melhor ter cuidado com muitas coisas. Escrevi um pouco disso aqui.
  8. Fuso horário diferente. Moscou se encontra no GMT +4, ficando de 5 a 8 horas de diferença do Brasil considerando o horário de verão e diferentes regiões. No far east, o GMT chega até o +12! Caso você for se locomover pelo país, especialmente de trem, considere essa diferença.
  9. Cuidado com o táxi. Especialmente em Moscou, os motoristas são careiros e tentam tirar vantagem dos estrangeiros, especialmente aqueles que não falam russo. A melhor opção é usar o transporte público o máximo possível.
  10. Use transporte público para sair do aeroporto. O aeroexpress é um trem que sai dos três principais aeroportos de Moscou em direção ao metrô. De lá, se consegue chegar em qualquer lugar.

Ir para a Rússia não é tão difícil quanto parece e me alterei quando li relatos de outros viajantes, que pareceram não se preocupar com muita coisa, especialmente quanto à preparação da viagem. Planejamento e preparação são essenciais para qualquer pessoa que sai do seu país procurando não ter uma experiência de choque cultural tão forte. Seguindo essas dicas e pesquisando bastante sobre a região onde você vai ficar, hotel, comida, e outros detalhes de relatos de viagem, meio caminho já está andado. O resto é para se descobrir já no destino.

Depois de um tempo, posso escrever mais dicas por aqui. Qualquer coisa, curiosidades úteis sobre a Rússia se encontram aqui.

Anúncios

2 comentários sobre “Tô indo pra Rússia! E agora?

Os comentários estão desativados.