A riqueza dos detalhes da Ópera

Um dos lugares mais bonitos de se visitar em Budapeste é a Magyar Állami Operaház, ou simplesmente a Ópera Nacional Húngara. Ela se encontra na avenida Andrássy, a mais famosa e badalada da cidade, e é super fácil de chegar lá via estação do metrô Opera, na linha M1.

Existem duas formas de se conhecer o edifício: assistindo um espetáculo pessoalmente, ou participar de uma visita guiada por todo o prédio. Como eu era uma simples estudante de intercâmbio que morava bem longe do centro, nunca tive coragem de assistir uma ópera em loco devido ao preço e ao horário de encerramento. Mesmo assim, tive a chance de conhecer o prédio através de uma visita guiada.

As visitas guiadas acontecem todos os dias às 15 e às 16h. Com carteirinha de estudante (eles aceitaram a minha da universidade sem problemas) o preço é de 1900 FT. O preço normal é de 2900 FT. Esse ingresso pode ser acrescido de algumas coisas, como valor para tirar fotos, e um pequeno show particular. Acabei pagando pelo show particular, e deixei de comprar a permissão para fotos.

Ópera de Budapeste

Ópera de Budapeste

Eu e a minha roomate seguimos direto ao guia em inglês (sendo que o tour também é disponível em espanhol, alemão, francês e italiano) e fomos conhecendo tudo.

Como Budapeste era uma “segunda capital” do império Austro-Húngaro, o imperador Francisco José ordenou que a ópera de Budapeste fosse menor que a de Viena, mas comparações feitas entre essas duas casas ainda no século XIX indicavam que apesar de menor, a ópera em Budapeste era muito mais bonita, pelos detalhes que existiam.

A ópera continuou sendo um dos maiores símbolos de Budapeste, especialmente em tempos difíceis como as guerras mundiais e durante a época comunista, ela era usada como um meio de defender os ideais outubristas. Desde o fim do comunismo, a ópera vem sendo usada como um elemento de integração com outros países e especialmente de vanguarda. Sempre existem atrações internacionais por lá!

Voltando aos detalhes físicos da Ópera, os detalhes em ouro são notáveis, junto com as pinturas no teto feitas à mão, lustres maravilhosos, e também algumas coisas feitas em mármore Carrara. O teatro em si é realmente pequeno, mas totalmente aconchegante é claro, ao redor de uma beleza estonteante. Posso dizer que durante a construção da ópera, vários artistas e materiais húngaros foram utilizados, refletindo então o sentimento de nacionalidade húngara na época.

Também vale ressaltar que ali era provavelmente a sala de música mais moderna do mundo, na época.

A imperatriz Sissi sempre ia até à Ópera para socializar, e muitos acreditam que, pelo fato da grande simpatia que ela tinha com a Hungria, que muitos desses encontros eram meramente políticos. Mas o fato é que a chegada da Imperatriz para assistir a ópera era tão importante que muitos consideravam o ápice em eventos sociais da época. A curiosidade fica no fato do marido dela, o imperador Francisco José só ter ido para a ópera de Budapeste uma vez, no dia da sua inauguração.

A estrutura do prédio ainda é quase inteiramente de madeira (ainda podendo ouvir aqueles barulhos da madeira se movendo) e possui cômodos muito bonitos. Ali pode ter surgido a primeira estrutura de fumódromo do mundo, assim como barzinhos particulares sempre serviam os convidados da alta sociedade húngara.

Terminando a visita, passamos na lojinha de souvenirs, e creio que comprei uma ou duas coisas para trazer de volta aqui pra casa. No geral, a visita foi muito boa e de certeza complementou o meu conhecimento sobre Budapeste. Afinal de contas, todo conhecimento é válido e acredito que não importa onde você vá, é preciso saber de tudo que te rodeia.

E sobre o fato de eu não ter ido assistir nenhum espetáculo, só digo uma coisa: terão outras oportunidades.

Anúncios