A conexão de Praga

Aquele momento que você percebe que você voltou no tempo ao atravessar a Charles Bridge (Ponte Carlos) em Praga. Já falei por aqui que Praga é uma daquelas cidades que estão bem preparadas para o turismo, e que inúmeras atrações pela cidade fazem de tudo para prender a atenção do turista, seja os peixinhos que ajudam na pedicure, os inúmeros artistas de rua e atrações incríveis, como a canoagem e passeio de balão.

Torre da Charles Bridge

Torre da Charles Bridge

O centro da atenção dos artistas (e dos turistas, claro) é a Charles Bridge, a histórica ponte de pedra que se tornou o símbolo da cidade, fazendo a conexão do Castelo de Praga com a cidade antiga!

A construção da ponte começou no século XIV, sob a jurisdição do rei Carlos (daí que vem o nome) e só terminou pra lá dos anos 1500. A construção desta ponte permanente (ela havia substituído uma outra ponte de pedra que havia sido danificada por uma enchente) foi o ponto que faltava para transformar Praga em um entreposto comercial na época, ligando a Europa ao Oriente. De certeza, a cidade cresceu muito depois disso.

Charles Bridge

Pelo background religioso de Praga, já dá para se imaginar que a ponte também segue esse estilo. Primeiramente, a ponte possui duas torres, sendo uma em cada ponta. Dá para se subir em uma escadinha pitoresca até o topo, e conseguir imagens incríveis.

Fora isso, várias estátuas se localizam por toda a ponte, e todas possuem algum tipo de significado religioso. Foca na estátua do São João Nepomuk, que foi condenado à morte jogado pela ponte no rio Vltava. Tocar na cabeça dele pode trazer boa sorte. E por favor, não toquem no cachorro! Ele traz má sorte!

A estátua da lamentação de Cristo também é bem famosa e representa Maria Madalena e a Virgem Maria tristes pela morte de Cristo na cruz. Uma curiosidade é que a cruz original foi destruída em outra enchente no Vltava. Além dela, também uma estátua de Cristo na cruz no Calvário se localiza na ponte.

Vista do Vltava

Vista do Vltava

Além das estátuas, a ponte é cheia de turistas e artistas! Muitos deles fazem autorretratos e caricaturas, alguns são ventríloquos, outros vendem pinturas a óleo e por aí vai. Entretenimento não falta por lá! Infelizmente não pude fazer minha caricatura por falta de dinheiro (chateada, Praga é meio cara), mas outras coisas tem preços bem acessíveis e bem interessantes!

Perceberam que falei bastante das enchentes nesse post? A Europa Central sofre com essas enchentes lá por junho e julho. Nesse ano de 2013, Praga sofreu outra grande enchente, e muitos se preocupam com a integridade da Charles Bridge, pois afinal de contas, ela não é uma ponte com muito recuo para a água, e obviamente ela é antiga! Isso pode torná-la um alvo fácil, mas se em 500 anos ela não foi destruída…

P1020024

O mais interessante foi perceber o contraste da Charles Bridge vazia e cheia. Assim que cheguei em Praga, poucas pessoas estavam na rua, por ser um sábado frio e chuvoso. Mas com o passar das horas, a calmaria da Charles Bridge se transformou em uma enorme passarela lotada de todos os tipos de pessoas, lembrando muito uma multidão.

Cheia ou vazia (quase nunca, por que né?), a Charles Bridge é linda de se apreciar, e é certeza de possuir boas opções de entretenimento ao redor.

Anúncios

Um comentário sobre “A conexão de Praga

  1. carolina disse:

    Camilla, adorei seu blog, vc oferece ótimas dicas e práticas para planejar minha viagem a Praga!! parabens! grande beijo!

Os comentários estão desativados.