Atenção em Volgogrado

Nesse fim de ano de 2013 fiquei perplexa com os ataques que aconteceram em Volgogrado, no centro-sul da Rússia. Uma explosão num ônibus, outra num trolleybus e outra na estação de trem me deixaram de coração partido, especialmente pela conexão que criei com a região do Volga e pela época do ano, próxima ao meu aniversário de chegada por lá.

Recentemente escrevi sobre a região do Volga e sempre friso nos meus posts que a Rússia é sim um país seguro, e fico bem desconcertada quando coisas assim acontecem. Vidas são perdidas, pessoas ficam traumatizadas, infraestrutura que já é precária fica pior.

Muitas pessoas ficam comentando da proximidade destes atentados com as Olimpíadas de Inverno em Sochi, e como Volgogrado fica perto da “perigosa” região do Cáucaso, mas sinceramente só fico observando. Claro que eventos como esses devem despertar a atenção das autoridades para melhorar a segurança, mas só usar esse pretexto da olimpíada para trazer a segurança da população é mesmo que tapar o sol com a peneira. E depois? Nada será feito?

Confesso que também fico preocupada com os meus amigos em Saratov. Apesar de ter quase dois anos que eu fui pra lá, sempre estou em contato com as pessoas. Lembrando que Volgogrado era tipo uma hora de carro a partir da minha casa e qualquer coisa ruim pode se refletir sim em Saratov! Espero que não aconteça nada mais.

Volgogrado é uma cidade que é um símbolo da resistência do povo russo, e essa fama veio desde a vitória sobre o exército nazista durante a Segunda Guerra Mundial. Na época, a cidade se chamava Stalingrado e era o coração industrial da Rússia. Os planos de Hitler incluíam a destruição da cidade, que iria parar a União Soviética. Com os camaradas fora de combate, os nazistas conseguiriam colocar suas mãos facilmente nas enormes reservas de petróleo do mar Negro.

Fora isso, os soviéticos (eslavos em geral) eram vistos como uma “raça inferior”, e quanto mais soviéticos mortos, melhor para os nazistas. Os esforços de guerra soviéticos incluíam a queima de qualquer coisa que estivesse no caminho, deixando tudo ao redor devastado. Com isso, muitas pessoas passaram fome e frio, fora as enormes perdas de vidas.

Em muitos momentos, a derrota e a destruição de Stalingrado eram iminentes mas vários fatores levaram os soviéticos à vitória! Após a queda da União Soviética, a cidade voltou a se chamar Volgogrado (cidade do Volga), e por apenas dois dias no ano ela se chama Stalingrado novamente (dias para celebrar a vitória na Segunda Guerra).

Por isso que esses ataques doem muito mais em uma cidade símbolo de resistência. O orgulho ferido dos russos é tudo que esses extremistas querem. Violência gera violência, mas nem todos conseguem entender isso.

Mas enfim, eu estou super ansiosa pelas Olimpíadas de inverno (post especial vem aí!), e sinto muita falta do Volga e de tudo que me lembra a Rússia! Um arrependimento? Ter confiado na palavra da minha host mother, que havia me prometido uma viagem para conhecer Volgogrado. Como deu pra perceber, acho que ela se esqueceu da promessa.

Desejo que tudo saia bem e que logo eu consiga voltar para a mãe Rússia e vivenciar momentos novos nesse lugar tão especial. Que tudo dê certo e que esses ataques não aconteçam mais.

Anúncios