O mergulho nas águas

Entre os dias 18 e 19 de janeiro, um evento muito curioso acontece nas águas da Rússia e de outros países com tradição cristã ortodoxa, como a Ucrânia e a Bulgária. Esse tal evento é o Ritual da Epifania, que consiste em reproduzir o batismo de Jesus no rio Jordão nos rios do leste Europeu.

Ritual com um significado bonito, certo? Para aqueles que já ligaram os pontos (leste europeu, janeiro, inverno, frio…) deu pra perceber que esse ritual tem um quê a mais. O ritual da epifania é feito durante o inverno russo, muitas vezes com temperaturas negativas (-10, -15 graus…). Ou seja, por um motivo religioso, as pessoas mergulham nas águas gélidas do inverno como uma maneira de “lavar os pecados”.

Por coincidência, esse evento acontece de 11 a 12 dias depois do natal ortodoxo, que é comemorado no dia 7 de janeiro. Fiéis se reúnem na beira de rios e de aberturas na neve conhecidas como “iordans” (menção ao rio Jordão) para poder nadar. Adultos e crianças se divertem em passar alguns segundos na água gelada. Eles veem isso como uma maneira de se purificar, e alguns até dizem que isso faz bem pra saúde.

Agora se você pensou que eu vi com meus próprios olhos esse ritual, acertou! Se pensou que eu entrei na água, você está errado! Minha host mother nos levou à beira de um riacho cheio de pessoas prontas para assistir e nadar! Era dia 18 de janeiro à noite e todos os preparativos estavam prontos!

O padre havia benzido a água e os fieis estavam prontos para entrar na água. Nesse riacho a coisa era um pouco mais “light”. Vendo matérias na TV e na internet, vemos que em muitos casos, as pessoas nadam ao ar livre, em rios, e até mesmo no Oceano Pacífico, no caso do Far East russo. Nesse riachinho que fomos, as pessoas nadavam numa parte coberta por uma casinha. Tinha uma fila para quem iria entrar na água e quem iria apenas assistir aos outros.

Não acreditei, mas um amigo brasileiro entrou na água de verdade! Gravaram um vídeo dele pulando na água e saindo (coisa de dois segundos), mas ele conseguiu! Pontos pra ele. Os outros intercambistas não tiveram coragem. Além desse brasileiro, o namorado da minha host mother também entrou na água.

Eu não o vi entrando, mas acompanhei uma família que entrou! Foi incrível ver de pertinho a disposição dessas pessoas nessas condições tão ruins! Eles entraram, passaram uns 10 segundos na água e saíram. O “engraçado” era que todos eles meio que se aqueciam de uma maneira diferente antes e depois do mergulho. De qualquer maneira, foi incrível presenciar de pertinho todo esse ritual tão significativo para esse povo.

Posso dizer também que nós, os estrangeiros, fizemos sucesso! Muitos dos que estavam ali na fila ficaram bem impressionados com a nossa presença!

Veredicto? Adorei presenciar esse ritual. Todos os dias 18 e 19 de janeiro são marcados na minha agenda!

Entrar na cabine e ainda por cima, pegar um pouco de água benta.

Entrar na cabine e ainda por cima, pegar um pouco de água benta.

Anúncios