Minha opinião sobre o Bus Turístico de Montevidéu

Planejar viagens é essencial. Montar roteiros, previsão de gastos, conhecer os horários de funcionamento das atrações e estudar mapas é totalmente necessário para que a sua viagem tenha mais chances de correr bem. Mas obviamente imprevistos acontecem e acabamos fazendo algo completamente diferente do que havíamos planejado.

Pois bem, eu havia planejado um passeio mais informal no dia 3 em Montevidéu. Já tínhamos conhecido o centro histórico no primeiro dia e visitamos uma vinícola no segundo, então o meu planejamento incluía conhecer a Rambla, o letreiro de Montevidéu, explorar o resto de Punta Carretas e, se estivéssemos com tempo e disposição, dar um pulinho no estádio Centenário. Aquele seria o único dia de sol na cidade, então seria o dia perfeito para fazer esse passeio.

Quando acordamos, minha mãe perguntou se valeria a pena passear no Bus Turístico, já que ela tinha visto relatos em outros blogs assim como o hotel havia sugerido como possível passeio. Particularmente não gosto de passeios de ônibus turísticos, e desde sempre falei que não tinha interesse em fazê-lo por achar um desperdício de dinheiro. Só que assim, ela queria tanto e ficou até chateada comigo com a minha negação que decidi fazer uma concessão e acabamos indo fazer o passeio.

Saímos do nosso hotel em Punta Carretas e pegamos um táxi até o Mercado do Porto. Ali é o ponto zero do passeio, onde o tour inicia. Existe um guichê rosa próximo às entradas do mercado e compramos nossos ingressos ali: 570 pesos uruguaios por pessoa (por 24h). Ainda ganhamos um mapa e um guia dos locais e horários que o ônibus passava.

O sistema funciona assim: são 11 paradas, cada uma indicada com uma espécie de obelisco cor-de-rosa indicando o local e os horários estimados de chegada dos ônibus. Se você se interessar por alguma das paradas, você pode descer, conhecer o que quiser, e pegar o ônibus seguinte para continuar a viagem.

Vista de cima do Bus Turístico

Vista de cima do Bus Turístico

Então, apesar da parada zero ser o Mercado do Porto, não começamos o tour ali. Queríamos pegar algumas informações no centro de informações turísticas, localizado ali perto, e decidimos seguir andando até a parada 1, que é a Puerta de la Ciudadela.

A Puerta de la Ciudadela é o marco inicial da Cidade Velha. Próxima ao teatro Solís e bem em frente à Plaza Independencia, tem boa localização e possui muitas coisas interessantes em volta. Em posts futuros sobre a Cidade Velha posso explicar os pontos turísticos localizados ali, mas já adianto que a Puerta de la Ciudadela é um dos lugares onde as pessoas tiram mais fotos em Montevidéu.

No horário correto o ônibus chegou. Ao entrar, um fiscal carimba sua entrada e oferece um fone de ouvido, onde você pode escutar as informações dos lugares onde você está passando. Como disse, o dia estava ensolarado sem nuvens, porém ainda fazia um pouco de frio, coisa de 15 graus. Enfim, acabamos optando pelo andar de cima, no lado esquerdo.

Seguimos direto pela av. 18 de Julio até a parada 2, a Explanada Municipal. Ali possui um mirante famoso, mas não tivemos a oportunidade de visitá-lo. No primeiro dia, havíamos passeado a pé por quase toda a extensão da av. 18 de Julio, então foi bom ver a avenida por outra perspectiva.

Explanada Municipal

Explanada Municipal

A parada 3 se dá no Palácio Legislativo, um pouco mais afastado do centro histórico. O prédio é muito grande em bonito, feito de mármore e as pessoas não paravam de tirar fotos dele. Com certeza foi um dos pontos altos do passeio.

p1140266

Palacio Legislativo

A parada 4 fica no Mercado Agrícola e a parada 5 em La Diligencia, ambos que não me interessaram muito. Mas aproximadamente nesta parte do passeio, passamos pelo bairro de El Prado. Tenho que falar que adorei a vizinhança! Cheio de belos casarões, ruas amplas e arborizadas, parques e afins, com certeza deve ser o bairro com a melhor qualidade de vida da cidade.

Rua no El Prado

Rua no El Prado

O jardim botânico é a parada 6. Na minha impressão, ali seria um excelente lugar para passar um domingo despreocupado, fazendo um piquenique, ou até outra atividade ao ar livre, como corridas e afins.

A parada 7 se localiza no terminal rodoviário de Tres Cruces. Como no dia seguinte nós iríamos até lá para pegar o ônibus para Colonia, foi interessante saber onde se localizava, mas no mais, nada demais. A próxima parada é o estádio Centenário, que era onde eu queria ir naquele dia. Olhando ao redor não parecia nada demais, mas acredito que a visita dentro dele deva ser mais interessante.

Exterior do El Centenario

Exterior do El Centenario

As paradas 9 e 10 se localizam respectivamente no World Trade Center, onde se encontram vários escritórios e centros comerciais, e no Punta Carretas Shopping, que já havíamos visitado na noite anterior.

Punta Carretas Shopping

Punta Carretas Shopping

A última parada se encontra no Parque Rodó, que também ficava próximo ao nosso hotel. No caminho entre Punta Carretas e o Parque, passamos pela parte da Rambla que eu queria visitar. Vi o letreiro, vi o forte e todos os lugares que eu queria tirar foto, e me contentei apenas com uma passagem rápida, porém divertida. Estava ventando muito, e frio! Adorei sentir todo aquele vento no meu rosto, combinado com as passagens que eu estava vendo.

Rambla de Montevidéu

Rambla de Montevidéu

Enfim, voltamos à parada zero no Mercado do Porto e tivemos que descer ali. O passeio terminou e eu tenho uma posição ainda ambígua sobre tudo. A manhã no Bus Turístico foi agradável e informativa sim, porém ainda não me fez comprar esse tipo de passeio. Existem coisas que me agradaram – tipo a passagem pelo El Prado e pela Rambla – porém tiveram outras que não me chamaram tanto a atenção como o Shopping, o World Trade Center, e o Mercado Agrícola.

Se eu recomendo esse passeio a quem vai para Montevidéu? Para uma pessoa tipo a minha mãe que adora esse tipo de passeio, obviamente sim. Inclusive ela adorou bastante todo o passeio e ficou muito feliz (a concessão valeu a pena!). Mas para uma pessoa que já não se interessa muito nesse tipo de turismo, acredito que ele seja facultativo, pois não é nada que não dê pra se ver sozinho. Mas de qualquer maneira, foi um passeio válido e interessante, um dentre tantos em Montevidéu.

Anúncios