Passagens Compradas – Paris

Apesar de estar aqui novamente, 11 anos após o primeiro parágrafo escrito, existe uma grande semelhança. É a empolgação. Mas para quê?

Em 2012, como disse no post de ontem, eu arrumei minhas malas em direção à mãe Rússia. Em 2013, foi a vez de me preparar para uma experiência na Hungria. Hoje, em 2023, estou prestes a embarcar no meu terceiro intercâmbio, e dessa vez num lugar não tanto “exótico”. Vou passar um mês na França!

Minhas passagens já estão compradas, e assim como os antigos posts da aba “Passagens Compradas”, me preocupei em fazer essa espécie de anúncio, assim como eu fazia anteriormente.

Como disse, se passaram 11 anos da Rússia e quase 10 da Hungria. Dessa vez a facada pelas passagens foi muito mais profunda. Se calcularmos em termos nominais, gastei mais que o dobro do valor que foi a passagem para Budapeste. Reflexo dos tempos atuais, onde o custo de vida do brasileiro subiu exorbitantemente. Eu não queria entrar muito do mérito da análise econômica nem política neste post, apesar de me posicionar categoricamente contra muitas questões que aconteceram nos últimos anos, mas uma coisa é fato. Essa viagem para a França está sendo muito mais difícil de lidar (no âmbito financeiro) do que nas vezes anteriores. Enfim…

Dessa vez também, outros medos estão aparecendo. Coisas que não ocorriam com a Camilla jovem adulta que resolveu conhecer o Leste Europeu.

Estou preocupada com o local que vou morar. Se o transporte até o Centro será fácil (porque já me conformei que não vou morar no centro de Paris), se eu terei um banheiro limpo (e também já desisti do banheiro privativo), se eu verei ratos pela casa (já vi relatos de que na capital francesa, não é estranho você ver um bichinho desses nas casas, especialmente no térreo), e inclusive medo de arrombamento e incêndio! Lembrando que eu morei em prédios soviéticos antigos, onde provavelmente tudo já aconteceu por lá. Mas diferentemente dos prédios soviéticos que possuem uns 50-60 anos de idade, essas edificações francesas já são centenárias!

Temo também pela xenofobia, pela misoginia e tantas outras coisas. Não sei quem são as pessoas que vão cruzar comigo no dia a dia. Se elas são amigáveis a estrangeiros ou não… se eles acham que mulheres sozinhas na rua usando transporte público são um alvo. Falando em transporte público, tenho medo dos pickpocketers sim! Afinal de contas hoje, já na casa dos 30 anos, entendo com mais clareza o valor do dinheiro e de todo esforço que damos em conseguir nossos bens preciosos!

Ter medo é humano. E hoje essas coisas não passam despercebidas, diferentemente da Camilla que foi pra Rússia e pra Hungria.

Mas eu não estou falando mal dessa experiência! Eu estou muito feliz de estar indo a Paris! Estou cheia de planos! Estou animada para tirar muitas e muitas fotos, assim como conhecer os lugares que não fui! Estou animada para conhecer meus colegas de curso, imaginando que alguns deles possam ser de origens que ainda não tive tanto contato! Estou ansiosa para conhecer minha host family e entender como que a mente de um francês funciona! Estou contando os dias para pegar esse avião com destino a Londres, e poucas horas depois, outro me levará a Paris!

Paris é um sonho. Eu estive a um passo de ir para a Espanha, na verdade. Mas a Cidade Luz me iludiu! E vou compartilhar aqui os meus pensamentos… as minhas sinceridades… Estou feliz de verdade! Mas desta vez estou atenta a problemas e questões que eu não tinha antes. Acho que por causa disso, talvez essa experiência francesa seja mais completa!

Publicidade