Park review: Magic Kingdom

O Magic Kingdom (ou MK) é sem dúvida o mais icônico de Orlando! Ali, a imagem do castelo da Cinderela se mistura com a própria Disney, e com certeza é o lugar “Where dreams come true” (pelo menos no meu caso, hihi).

De todos os parques da Disney em Orlando, o MK é o mais antigo, e teve como inspiração a Disneylândia, que fica na Califórnia. Fica a dica que algumas atrações são iguais no Magic Kingdom, na Disneylândia e nos outros parques da Disney pelo mundo!

Em Orlando, o MK está dividido em 6 seções, a Main Street USA, Adventureland, Frontierland, Liberty Square, Fantasyland e Tomorrowland. Com pique, é possível sim ver muitas atrações do parque em um só dia, mas também fique atento à época do ano que você vai, e também no tamanho das filas por atração. Querendo ou não, pequenos detalhes podem influenciar na quantidade de atrações que você poderá ver por dia no parque.

Para aqueles que estão nos hoteis da Disney, consulte o concierge para saber qual a melhor maneira de ir até o MK, seja por monotrilho, barco, ou mesmo o ônibus próprio da Disney. Para os hóspedes de outros hoteis, existe um estacionamento amplo, onde é necessário pagar 17 dólares logo na entrada. Depois, é só seguir adiante observando as orientações dos funcionários sobre onde estacionar. Depois de parar, é só esperar um trenzinho que vai te levar à entrada do monotrilho. Não se esqueça de lembrar o setor e fila do estacionamento onde você parou!

Caso você tenha comprado o ingresso online e vai buscar lá, consulte os guichês logo antes da entrada do monotrilho, que logo eles lhe darão os cartões de entrada. Neste cartão se encontram todas as reservas feitas por você: sejam nos fast passes, restaurantes e afins. Após, é só entrar no monotrilho, que ele te levará até a entrada do parque! Ah, cuidado na hora da saída, e observe qual o monotrilho que vai direto ao estacionamento (já que tem outro que te leva para três hoteis Disney: Polynesian, Contemporary e o Grand Floridian).

Aqui, eu vou apresentar as atrações, tentando me manter imparcial, já que gostos mudam. Espero que ajude quem está procurando onde ir no MK! Mas não se esqueça:

– Já chegue ao parque com os fast passes e outras reservas devidamente marcadas (via My Disney Experience);

– E também prepare-se pra andar e ficar em pé em outras filas. Tá que algumas filas não demoram tanto, e dá pra esperar;

– Se possível, leve uma garrafinha para encher nos bebedouros (geralmente próximos aos banheiros), e alguns snacks para ir enganando o estômago no caminho;

– Celular e câmera carregados também, viu!

1. Main Street USA

Com um tema meio que de Anos 1920, a Main Street USA é a “rua de entrada” do Magic Kingdom. Após a entrada do parque, você dará de cara com a Main Street, e no fundo, o Castelo da Cinderela! Basicamente de qualquer ponto ali, dá para tirar uma linda foto com o castelo ao fundo.

Por ser logo no início, ali não existem muitas atrações propriamente ditas, mas dá pra fazer várias coisinhas. Não se esqueça de pegar um mapa (disponível em português também) e um times guide logo depois da entrada.

Desfiles:

– Festival of Fantasy Parade: Este desfile acontece às 3 da tarde, e é bem divertido por causa da presença de vários personagens da Disney, como a Cinderela, Rapunzel, Branca de Neve, Peter Pan, Pluto, Pato Donald, Mickey, Minnie e por aí vai! Bem antes das 3, as pessoas já começam a ficar ali na frente da Main Street guardando lugar, então fique de olho!

– Wishes Nighttime Spetacular: Este é o famoso show que conta com fogos de artifício de todas as formas e cores. É muito bonito e emocionante também (especialmente para uma fã da Disney que nem eu, hihi). Ele acontece todos os dias, geralmente às 10 da noite.

– MK Electrical Parade: Tem vezes que esse desfile acontece duas vezes por dia. Na segunda apresentação, às 23h, é bem interessante, pois não há mais muita gente no parque. Ali, os personagens da Disney também desfilam em carros com iluminação em LED. Bem divertido também.

Atrações:

– Sorcerers of the Magic Kingdom: Confesso que nunca fui nessa atração, que é um joguinho interativo, tipo uma caça ao tesouro. Algumas pessoas me disseram que o jogo pode demorar muito para terminar, e não é tão essencial assim. Porém as crianças adoram!

– WDW Railroad: Esta atração é um trenzinho que passa ao redor do Magic Kingdom. É bem light e pode servir como descanso para aqueles que já rodaram muito o parque, haha.

Meet and greet com personagens:

– Mickey Mouse: Town Square Theater – Backstage Magic with Mickey Mouse.

– Tinker Bell: Town Square Theater – Tinker Bell’s Magical Nook.

– Minnie, Pluto e Marie: Pracinha em frente ao City Hall.

– Branca de Neve: Town Square Theater Porch.

 

2. Adventureland

20150314_130407

Essa parte da Adventureland tem umas atrações diferentes. Em relação a tamanho, ela não é muito grande, porém dá pra fazer bastante coisa por lá. Apesar de ser pequena, as crianças gostam muito, e é um bom espaço para ficar com a família!

Atrações: 

– Piratas do Caribe: Essa atração é bem legal e incrivelmente bem feita! Ela consiste num passeio de barco pelo mundo dos Piratas do Caribe, onde você vê os piratas interagindo de várias maneiras. Apesar de ser na água, não molha.

– The Magic Carpets of Alladin: Ali, você “voa” no tapete mágico, dando voltas, e indo de cima pra baixo. Essa atração tem muito mais a ver com crianças, e para pessoas sem medo de altura (eu tenho medo de altura, risos).

– Jungle Cruise: Esse é um passeiozinho de barco onde o skipper vai interagindo com as pessoas e fazendo piadas. É meio bobinho mas até que é meio divertido.

– Swiss Family Treehouse: É uma casa na árvore com trilhas que tem alguns obstáculos e playground.

Meet and greet com personagens:

Aladim e Jasmine: Em frente ao The Magic Carpets of Alladin.

 

3. Frontierland

P1020581

Essa é a região “velho oeste” do MK. A Frontierland tem mais ou menos o tamanho da Adventureland e provavelmente tem duas das atrações mais concorridas do parque. A região é popular e está sempre cheia, porém vale a pena passar algum tempo lá.

Atrações: 

– Splash Mountain: Ela é um trenzinho/montanha russa que tem uma queda alta e rápida no meio da água. No caminho, ela tenta disfarçar com uns animaizinhos brincando na mina. A terceira queda do caminho é a “pra valer”, e dá muito medo em pessoas que nem eu. Hahaha. Menos mal que ela não molha tanto assim.

– Big Thunder Mountain: Essa é uma das montanhas russas clássicas da Disney. Nunca fui nela, porém dizem que ela é bem tranquila.

– Tom Sawyer Island: Os meninos costumam gostar, porém é uma atração meio bobinha para adultos.

Meet and greet com personagens:

– Woody e Jessie: próximo à Splash Mountain.

 

4. Liberty Hall

20140513_165918

 

Essa é a menor atração do MK, mas ela é bem bonitinha e organizada. Ela lembra alguma pequena cidade da costa Leste dos EUA, bem all american. Como no Tomorrowland, as lojas ali tem coisas interessantes.

 

Atrações: 

– Haunted Mansion: Eu gosto muito dessa atração! É um trenzinho fantasma (parece bobinho, mas enfim), mas é rico em detalhes e é super divertido. Durante a fila, os “fantasmas” interagem com as pessoas. Geralmente tem fila por lá, então garanta o fast pass!

– Liberty Square Riverboat: É simplesmente um passeio num navio a vapor. Sem emoção.

– Hall of Presidents: Nessa atração, bonecos de todos os presidentes dos EUA contam a história do país e enaltecem os americanos. É até curioso, mas se eu fosse americana, acho que eu me interessaria mais por essa atração.

Meet and greet com personagens: 

– Tiana: próximo à loja natalina.

 

5. Tomorrowland

P1030807

Essa é a parte futurista do MK, e é a minha “menos favorita”. Particularmente são as atrações que menos me chamam a atenção, mas vale a pena pelo menos dar uma olhadinha.

Atrações: 

– Buzz Lightyear’s Space Ranger Spin: Este é um trem onde você deverá atirar nos alvos pelo caminho, e é bem divertido! Cuidado com as filas desde já.

– Monsters, Inc. Laugh Floor: Este é um show de stand up comedy apresentado pelo Mike, onde ele interage com o público. Obviamente ele é todo em inglês, e dá pra garantir boas risadas.

– Stitch’s Great Scape: Atração boa para crianças. Nela, o Stitch foge e tem uma “caça” atrás dele. Vá se sobrar tempo.

– Space Mountain: É, montanhas russas não são o meu forte. Porém eu ouço comentários muito bons desta atração, que é toda no escuro, e diz que mexe muito!

– Tomorrowland Speedway: Essa é uma corrida de kart, tipo numa pista de autorama. É divertidinho, mas vá só quando você já tiver ido nas suas atrações preferidas.

Meet and greet com personagens:

– Buzz Lightyear: Próximo ao Buzz Lightyear’s Space Ranger Spin.

 

6. Fantasyland

20140513_173929

Não escondo de ninguém que não cresci, e que a Fantasyland é a minha parte preferida do MK por causa disso, hahaha. As atrações mais clássicas se encontram aqui, e tenho certeza que qualquer um volta a ser criança nas atrações.

Atrações: 

– Seven Dwarfs Mine Train: Essa montanha russa é nova, e juro que inflei o peito e criei coragem de ir pra lá, mas a fila de espera estava em 110 minutos. O fast pass também já tinha esgotado. Fica para a próxima, sabendo dos excelentes comentários que eu ouvi sobre a atração.

– Peter Pan’s Flight: Essa atração é uma gracinha! É como se o Peter Pan estivesse te levando para Neverland, numa espécie de “voo”. Vale a pena!

– It’s a small world: Uma viagem de barquinho onde você verá bonequinhos customizados com fantasias de vários lugares do mundo. Ah, e com uma musiquinha grude que passa o resto do dia na cabeça.

– The Many Adventures of Winnie the Pooh: Outro trenzinho da Disney, e que é uma gracinha! Mas mais uma vez, ela é projetada mais para crianças. Ah, e por incrível que pareça, a fila demora muito ali.

– Mad Tea Party: Atração tradicional da Disney, onde as xícaras giram. Eu era louca pra ir na “xícara maluca” quando eu tinha 5 anos. Hoje, eu não sei se eu conseguiria sair de lá sem ficar enjoada, haha.

– Mickey’s Phillarmagic: É uma atração com um filme 3D com o Mickey, o Donald, a Minnie e cia. É bem fofinho e agradável, e muita gente gosta de ir lá.

– Under the Sea – The Journey of the little Mermaid: Outra atração que abriu na “Nova Fantasyland”. Como eu adoro a Ariel, sempre gosto de ir lá, mas é uma atração “clássica”, sendo um trenzinho que conta a história do filme e ponto.

– Prince Charming Regal Carrousel: Ande num carrossel clássico! Basicamente é isto.

– Dumbo, the Flying Elephant: Tipo o tapete mágico do Aladim. Uma atração que roda, sobe e desce.

Meet and Greet com personagens:

– Ariel: Na Ariel’s Grotto.

– Mérida: Próximo ao castelo da Cinderela, na Floresta Encantada.

– Bela: No Enchanted Tales with Belle.

– Ursinho Pooh e Tigrão: Próximo ao The Many Adventures of Winnie the Pooh.

– Aurora, Branca de Neve, Rapunzel, Tiana, Anna, Elsa, Cinderela: Princess Fairytale Hall (consultar no dia, e são só duas princesas por vez. Quando eu fui, escolhi a fila da Aurora e da Branca de Neve).

– Peter Pan: Próximo ao Peter Pan’s Flight.

 

Então, Disney é Disney! Fica a sugestão de que o Magic Kingdom é um parque voltado mais para crianças, mas não tem como os adultos não se encantarem! As atrações são muito bem feitas, funcionários atenciosos, e claro, todos felizes! Afinal, o MK é o lugar mais feliz da Terra!

P1020598

Passagens compradas: Orlando

Como eu já contei neste post, eu sempre sonhei em conhecer os parques da Disney desde pequenininha, mas infelizmente essa viagem demorou muito para acontecer. O passado já foi e hoje eu consigo aproveitar mais do que nunca as oportunidades de sair da minha cidade, um grande triunfo para quem acreditava que os grandes monumentos do mundo eram inalcançáveis!

Eu gosto de viajar para destinos diferente (vide Sibéria por exemplo), mas se divertir em lugares mais conhecidos é igualmente ótimo! Por isso, estou indo de novo a Orlando daqui a uns dois meses! \o/

Bem, eu vou tentar compartilhar alguns dos meus conhecimentos e dicas aqui pra vocês, assim como uma espécie de planejamento de viagem. Espero que ajude. =)

MK, seu lindo!

MK, seu lindo!

Primeiro passo: Compra de passagens

Então, geralmente as passagens para os Estados Unidos não são tão caras aonde eu moro, e sempre existem promoções, especialmente pra Miami e Orlando. Das outras vezes que eu fui aos Estados Unidos, cheguei por Miami e teria sempre que ir pra estrada para chegar em Orlando. Pela Florida Turnpike, uma rodovia que cruza o estado, a viagem dura de 3 a 4 horas em quase numa linha reta, e com vários lugares onde é possível fazer paradas estratégicas.

Dessa vez, vamos chegar diretamente em Orlando pela Copa Airlines, fazendo conexão no Panamá. Saio daqui às 3:20 da manhã e meio dia já terei chegado no destino final. Comprei as passagens num preço promocional, e mal espero a data da viagem.

Hotel Hyatt, que fica dentro do aeroporto de Orlando.

Hotel Hyatt, que fica dentro do aeroporto de Orlando.

Segundo passo: Definição dos parques e eventos a cada dia

Vamos viajar numa quinta, e voltamos na quinta seguinte. Para aproveitar o máximo possível dos parques e das atrações, observamos o calendário de eventos (não consegui fazer o upload do arquivo aqui :/ ), e definimos a nossa programação:

  • Quinta: Chegada e Downtown Disney
  • Sexta: Epcot
  • Sábado: Magic Kingdom
  • Domingo: Compras
  • Segunda: Hollywood Studios
  • Terça: Universal Studios
  • Quarta: Islands of Adventure
  • Quinta: Retorno para casa

O motivo por trás de ter selecionado esses dias para estas atrações é simples e se chama Magic hours. Essas horas mágicas são exclusivas para hóspedes dos hoteis da Disney, e elas dão a permissão de ficar mais tempo nos parques.

Te peguei, Huguinho! (Ou Zezinho. Ou Luisinho...)

Te peguei, Huguinho! (Ou Zezinho. Ou Luisinho…)

Como assim?

Em certos dias, o parque ou abre mais cedo, ou fecha mais tarde para os hóspedes dos hoteis e resorts da Disney! Às vezes, o parque fica aberto até duas horas depois do fechamento exclusivamente para os hóspedes Disney.

Acabamos preferindo aproveitar as Magic Hours noturnas. Alguns dizem que não pode valer tanta pena assim devido ao fato de ser um pensamento meio “coletivo” entre os hóspedes, e o parque pode continuar cheio. Porém eu acredito que mesmo que a manhã seja mais tranquila, é preciso haver muita disposição para estar lá no portão dos parques uma hora mais cedo que o normal, e como eu me conheço, corro o risco de me cansar muito mais e acabar não aproveitando os parques da maneira que eu pretendo. Mesmo com esse “risco” de lotação, ainda tenho pelo menos mais uma hora garantida à noite de qualquer jeito.

Multidão indo assistir o Fantasmic!

Multidão indo assistir o Fantasmic!

Terceiro passo: Reserva de restaurantes

Esse é um passo opcional para quem pretende viajar à Orlando. Já passamos certo “aperto” na hora de comer, devido ao fato dos restaurantes serem bem cheios no almoço e jantar, tendo que optar pelo fast food.

Dessa vez decidimos comer um pouco melhor, e desde já, fizemos as nossas reservas! Para isso, é necessário fazer uma conta no My Disney Experience, que é um portal que pode gerenciar todas as suas reservas, como ingressos, parques, hoteis, restaurantes e fast pass, por exemplo.

Após a criação da conta, especifique quem são os viajantes que vão com você, e de lá ele já cria uma estimativa do número de pessoas por reserva.

Dentro do portal, você pode filtrar os restaurantes por localização, seja um parque, Downtown Disney, resorts e assim por diante. Ao selecionar qualquer um deles, você poderá observar fotos, menu e faixa de preço. Para comentários de pessoas que foram a esses restaurantes, fica a dica de jogar o nome destes no Trip Advisor, onde as pessoas dão dicas e palpites dos lugares que foram.

No lado direito da tela, existe uma espécie de calendário, onde é possível consultar em que dia e em que hora existe a possibilidade de se fazer a reserva. Ao escolher qual é o melhor dia e horário, ele vai pedir a confirmação de quantas pessoas pela reserva, e vai pedir um número de cartão de crédito como garantia.

Se você quiser, já é possível de gravar esse número de cartão no site para que as outras reservas – como ingressos e hoteis – sejam faturadas ali.

Só para dar um exemplo, reservamos três restaurantes: o T-rex em Downtown Disney (com tema de dinossauros), o The Plaza no Magic Kingdom (de aparência que lembra o sul dos Estados Unidos) e o Chefs de France no Epcot (com gastronomia francesa).

Downtown Disney

Downtown Disney

Quarto passo: Compra de ingressos do Universal Studios

Então, os parques da Universal em Orlando também são muito visados por brasileiros que vão à Flórida. Em Orlando, eu só fui uma vez no Universal Studios, e tem alguns anos. Acabei não visitando o Islands of Adventure por que eu estava com um problema no pé, mas dessa vez não passa a minha ida lá! :)

Na vez que eu fui ao Universal Studios em Orlando, achei tudo muito tranquilo, sem filas e ótimo de passear. Deu pra aproveitar bastante os brinquedos, e tirei muuuitas fotos! Esse ano, eu fui ao Universal Studios em Los Angeles e posso dizer que os dois parques são bem semelhantes e muitas atrações são as mesmas, como o simulador dos Simpsons, o show 4D do Shrek e a montanha russa da Múmia por exemplo. Mas em Los Angeles, tem o Studio Tour, que foi demais, e prometi pra mim mesma que eu iria escrever um post aqui sobre ele <3.

Mas enfim, como pretendo passar um dia em cada parque, vou comprar o Single Park admission, que custa 68 dólares por dia, e dá o direito de aproveitar um parque mais o City Walk. Para aqueles que tem interesse de comprar o ingresso que permita ir e voltar de um parque pra outro, o ingresso custa 88 dólares por dia (isso considerando que você vá para lá e passe dois dias nos parques).

Pelo preço e objetivo de aproveitar bem os dois parques sem precsiar ir e voltar, reafirmo que vou comprar o Single Park admission. Até o fim desse mês, eu compro esses ingressos.

@Jaws

@Jaws

Quinto passo: Reserva de hoteis da Disney

Vamos reservar nossos hoteis logo em janeiro! Uma coisa de cada vez, né? :)

Como já disse acima, ficar em hoteis da Disney te dá ótimas vantagens, além de sempre contar com um excelente serviço da entrada até a partida. Além do mais, achei uma gracinha o fato de ter me hospedado num hotel Disney, hahaha.

Outra vantagem de se ficar em hoteis da Disney são os transportes para os parques e outros complexos. Serviços de ônibus exclusivos da Disney são oferecidos continuamente e te leva dos hoteis para os parques, Downtown Disney, e outros complexos Disney. Alguns deles oferecem transporte de barco para determinados parques, por exemplo.

Só para ter uma ideia, quando eu fiquei no Grand Floridian, além do serviço de ônibus, existe conexão de barco, e um monotrilho passa na porta do hotel. Para ir ao Magic Kingdom, era necessário descer na primeira parada do monotrilho, e pra voltar, na primeira parada do barco (Mas atenção! Existem diversos cais no MK, e observe de qual cais o barco vai pro seu hotel!).

Ah, fica a dica das Magic Bands, que são as famosas pulserinhas da Disney! Ao fazer o check in no hotel, elas servem como suas chaves do quarto, ingressos do parque, entrada de fast pass, e se você quiser comprar algo nos parques e não tiver o cartão ou dinheiro em mãos, é só ativar a pulseirinha que ela já fatura no seu cartão de crédito cadastrado no My Disney Experience!

Então, dessa vez, não vamos ficar no Grand Floridian e vamos “testar” algum novo. Uma vez a minha mãe ficou num que o tema era da Ariel e se apaixonou. Acho que vamos ficar por lá :)

A entrada do Grand Floridian

A entrada do Grand Floridian

Sexto passo: Compra de ingressos Disney e Fast Pass

Esse passo é bem tranquilo, e também feito no lindo My Disney Experience. Você tem a opção de comprar a quantidade de ingressos que quiser, e fica a dica que a cada mais ingressos, o preço relativo de cada um vai diminuindo!

Depois com os ingressos já em mãos (ou no site, risos), é possível de fazer as reservas do Fast Pass. Esse passe, também conhecido como “fura fila” é essencial nas atrações mais disputadas de cada parque, e cada pessoa tem direito a três fast passes por dia em três diferentes atrações.

O critério de cada fast pass depende de cada pessoa. Se você quer algo mais emocionante, fazer o fast pass na Torre do Terror, na montanha russa do Aerosmith ou ir pra Splash Mountain é essencial (já que as três são bem disputadas). Se você quer algo mais clássico, talvez o fast pass para o Piratas do Caribe, o Toy Story ou a montanha russa dos sete anões seja mais apropriado. Maas se você quiser encher seu livro de autógrafos dos personagens, pegue o fast pass que tenha encontro com os personagens!

Fica a dica que algumas atrações não fazem valer a pena o fast pass. A jornada do ursinho Pooh, apesar de fofinha tem uma fila bem demorada, e muitos concordam que não vale a pena a espera (nem o fast pass). Outras, como o It’s a small world, as xícaras malucas e até mesmo a mansão mal assombrada (que tem um tempo de fila razoavelmente considerável), não consigo ver necessidade de usar fast pass.

Ah, vale a pena lembrar que as parades e o Wishes não tem fast pass. O “fast pass” é justamente chegar cedo e pegar um lugar bem na frente pra assistir tudo. :)

20140513_220952

Sétimo passo: Aluguel de carro

Ter um carro é essencial para quem vai para Orlando! Se você não vai ficar em um hotel Disney, mais essencial ainda. Tudo é distante, incluindo outlets, outras atrações como o Sea World, o Kennedy Space Center e o Busch Gardens (que fica em Tampa), e não é bom, e nem muito viável o uso de táxi.

Estacionamentos são gratuitos, leis de trânsito são respeitadas, e as estradas são ótimas. Não tem o que temer, mas fica a dica de que é necessário saber dirigir carro automático, e de dicas como abastecer! :) (Vou contar minha experiência abastecendo carro por lá por aqui assim que chegar!)

Sobre carros e preços, fique de olho na quantidade de pessoas que vão com você! Dessa vez, só comigo e com a minha mãe, vamos alugar um Sedan, possivelmente um Corolla. Quando vamos em maior número, alugamos carros tipo SUV. Na nossa viagem pela costa da Califórnia, ficamos com uma SUV que dava até 8 pessoas e foi ótimo! :)

Fica a dica de levar um GPS daqui. Seja seu ou emprestado, às vezes não é bom confiar no GPS que eles alugam na operadora. Experiência própria.

On the road...

On the road…

Oitavo passo: Comprar ingressos para o Cirque du Soleil

Em Orlando, existe um show permanente do Cirque du Soleil chamado “La Nouba”. Eu apenas pude assistir a um espetáculo do Cirque du Soleil em Vegas, e me apaixonei! Mas como temos outras prioridades (como os parques, hihihi), e temos já o jantar no T-rex no dia que pretendemos ir assistir à La Nouba, e por isso ainda não temos certeza se vamos lá.

Os ingressos são vendidos no site do Cirque du Soleil via ticketmaster. É possível de imprimir o próprio ingresso em casa e apresentar na hora. Ah, e as apresentações ocorrem em Downtown Disney, numa enorme tenda branca instalada ali.

Cirque du Soleil, em Downtown Disney

Cirque du Soleil, em Downtown Disney

Nono passo: Seguro viagem e preparativos finais

Seguro viagem é obrigarório para qualquer viagem ao exterior! É possível comprar em qualquer agência de viagens ou mesmo pela internet.

Confesso que não tenho preferências por seguro saúde, mas prefiro não usar o ofertado pelo cartão de crédito, nem o que é vendido na CVC. Sempre tenho dificuldades ao ativar o primeiro, e no segundo, eles se negaram a me ajudar numa situação de emergência no exterior devido à falta do cadastro do hospital que tinham me levado (que era o único na cidade).

Mas enfim, com passaporte, visto, passagens, seguros, ingressos, todos os tipos de reserva possíveis, e claro, muito dinheiro e cartão liberado, aproveite sua viagem a Orlando! Contando os dias aqui para fazer a minha. :)

Mickey e Minnie

Mickey e Minnie

Disney’s Grand Floridian Resort and Spa: SIM!!

Aqui no meu blog eu gosto sempre de destacar as experiências e impressões que tive em algumas das minhas viagens, e raramente eu falo dos hoteis em que eu fiquei. Hoje eu vou abrir uma exceção, e destacar um hotel incrível que eu tive o prazer de ficar, cuja hospedagem por si só já foi uma incrível experiência. O Grand Floridian é incrível, e se puderem, passem algumas noites por lá!

A entrada do Grand Floridian

A entrada do Grand Floridian

A Disney possui uma ampla rede de hoteis, especialmente em Orlando. De uma maneira geral, a Disney oferece um excelente serviço de hotelaria, mesmo nos lugares mais populares, como o Art of Animation, o Animal Kingdom Lodge, o Old Key West e afins.

De todos os hoteis da rede da Disney em Orlando, três se destacam sobre todos: o Disney’s Contemporary Resort (com um tema inspirado no modernismo), o Disney’s Polynesian Resort (como o nome já diz, inspirado na Polinésia) e o Disney’s Grand Floridian Resort and Spa (de estilo Vitoriano).

Em uma viagem anterior, eu já havia visitado o Polynesian, onde eu havia tomado café com o Mickey. Sinceramente eu havia me apaixonado pelo hotel! Super bem decorado e atendido, o Polynesian já demonstrava uma pomposidade incrível – e eu queria muito ter a oportunidade de ficar lá alguma vez.

Quando surgiu uma nova oportunidade de irmos à Disney, demoramos a decidir o hotel. Até que num momento de empolgação, o marido da minha tia reservou o Grand Floridian para todos – 4 adultos e 2 crianças.

Chocolatinho que recebíamos todas as vezes que a camareira ia ao quarto.

Chocolatinho que recebíamos todas as vezes que a camareira ia ao quarto.

Não era o Polynesian, mas depois que eu vi o hotel e li suas recomendações, aguardei ansiosamente pelo dia em que chegaríamos a Orlando! E quando chegamos, certamente todas as expectativas haviam sido realizadas.

Primeiramente, fomos recebidos na portaria do hotel com entusiasmo: “Estávamos aguardando por vocês!”. Se estavam ou não, qualquer recepção calorosa já alegra qualquer hóspede.

Ao parar na frente do hotel, fomos recepcionados por um senhor do valet. Ele nos deu boas vindas, apresentou o hotel, deu algumas instruções e nos seguiu a uma próxima pessoa – tudo de uma maneira bem alegre e cordial!

Passeando pelo hotel.

Passeando pelo hotel.

Essa próxima senhora fez tipo uma “triagem” e nos levou ao check in, onde fomos muito bem atendidos e recebemos várias informações do hotel, dos parques e de tudo mais da Disney que tínhamos dúvidas. Também recebemos nossas pulseiras: elas seriam nossas chaves do quarto, entradas do parque e também eram nossos fast passes.

Após o check in, um outro rapaz nos levou num carrinho de golfe para os nossos quartos, já que o Grand Floridian possui vários prédios, com 4 ou 5 andares cada um. A parte legal foi que esse rapaz se “comoveu” com a gente, já que ele achou o quarto pequeno demais para 6 pessoas. Ele ligou para a recepção e conseguimos um quarto maior! Outro ponto positivo.

Falando mais da infraestrutura do hotel, ele possui duas piscinas incríveis, 6 restaurantes, uma loja da Disney, um spa chamado Senses, uma programação diária de lazer para crianças, fica na beira de um lago e tem conexão direta com os parques através do ferryboat, de ônibus e também de monotrilho! Tem um dos restaurantes que funciona 24h. Uma vez, pedimos uma pizza de madrugada. 10 dólares e muito gostosa!

Uma das piscinas do Grand Floridian

Uma das piscinas do Grand Floridian

Por exemplo, fomos ao Magic Kingdom de monotrilho – é a primeira parada depois do hotel. Só subir ao segundo andar, esperar na plataforma e aguardar a chegada! Com nossas pulseiras, acessamos tudo de maneira fácil e rápida. Na volta já não é tão interessante voltar de monotrilho, devido à volta que ele vai dar até chegar no hotel. A melhor jogada é voltar de ferryboat, já que o Grand Floridian é a primeira parada. Mas é preciso conferir na plataforma as estações onde o barco vai parando!

Outra coisa que queria destacar do Grand Floridian foi o jantar e café da manhã que tivemos com os personagens! Nós reservamos tudo pelo site da Disney, onde temos cadastro, e só aguardamos o dia. Numa noite jantamos com a Cinderela, o Príncipe Encantado (que falava português), a Madastra e as irmãs malvadas (e hilárias) da Cinderela. Na manhã seguinte tomamos café com o Ursinho Pooh, o Tigrão, a Mary Poppins, a Alice no país das Maravilhas e o Chapeleiro Maluco.

No menu do jantar haviam saladas, acompanhamentos, salmão, sushi, lasanha, porco, carnes, sopa e muito mais! Os doces também estavam maravilhosos! Já no café da manhã, havia o famoso waffle com o formato da cabeça do Mickey, crepes (feitos com os seus ingredientes), vários pães, sucos, ovos, queijos e afins. Tudo delicioso, e no nosso hotel!

Alguns dos doces

Alguns dos doces

Simplesmente amei o Grand Floridian. Alguns pequenos detalhes fizeram toda a diferença: o atendimento feito sempre com grandes sorrisos, a arquitetura do lugar, a banda de jazz que toca toda noite ali, a paisagem da beira do lago, o wifi gratuito em todas as áreas do hotel… Só vou ficar por lá quando for a Orlando!

Dentro do hotel.

Dentro do hotel.

 

Um sonho realizado

Então, eu sempre quis ir pra Disney. Na verdade, quase toda criança da minha geração (e acredito que as de hoje em dia também) queriam ir ver o Mickey bem de pertinho, ir aos parques, e comprar muitos brinquedos de vários personagens.

Quando eu era bem pequenininha eu ficava assistindo aos meus filmes favoritos da Disney (ainda naquela fita verde) de uma maneira quase incansável. Branca de Neve, Rei Leão, Bela Adormecida e tantos outros filmes que eu colecionava tinham uma coisa em comum.

No fim de todos eles, havia um vídeo promocional da Disney World mostrando o Magic Kingdom e toda a alegria das crianças no parque. Mas o que me chamava a atenção era a Parade, que é o desfile dos personagens da Disney na Main Street USA.

De tanto assistir, e de achar lindo e tudo incrível naquele desfile, sonhava com o dia em que eu viajaria para a Disney! Me lembro que uma vez, eu perguntei da minha mãe se nós podíamos ir pra Disney. Ela disse que sim, e na hora eu peguei uma mala de mão e coloquei todas as minhas roupas favoritas, com brinquedos, biquini, sandália e tudo que eu achava que era preciso levar para uma viagem. Eu fechei a mala e disse: “mãe, já podemos ir pro aeroporto”. Eu tinha no máximo 5 anos.

A primeira vez que eu fui pra Disney foi aos 19 anos, e eu ainda queria assistir a Parade. O planejamento era assistir o desfile da noite, a Electrical Parade, mas a minha priminha pequenininha havia dormido no carrinho e a minha tia quis ir embora. Eu bati o pé e disse que queria ficar (mas é claro), mas eu fui minoria e acabamos indo embora. Eu chorei no monotrilho, de tristeza e de raiva. Tava tão perto e não consegui assistir a Parade.

Depois dessa viagem pra Disney, posterguei todas as viagens para os Estados Unidos já que toda vez surgia uma oportunidade para ir para a Europa (risos). Mas nesse ano, eu decidi que voltaria lá, e com uma exigência: nós íamos assistir a Parade a qualquer custo!

Eu e minha mãe pegamos o monotrilho no hotel e fomos ao Magic Kingdom! Fomos em vários brinquedos juntas e aproveitamos bastante esse tempo. Deu 14:30 e fomos pra Main Street USA, que é onde o desfile da tarde acontece. Ele é chamado Celebrate a Dream Come True e acontece diariamente às 15h. Ali meio que lotou e não conseguimos ficar sentadas, mas WHO CARES, EU IA ASSISTIR A PARADE!!!

Momento de estresse: uns indianos chegaram e queriam se apossar do nosso lugar, empurrando e esbarrando mesmo. Quem disse que eu ia deixar eles pegarem meu lugar? Ninguém ia me tirar a vista da Parade!!! Fiz carão pra eles, empurrei de volta e não dei brecha pra ninguém. Um dos adolescentes indianos que estavam lá sentou na frente de uma lixeira que tinha ao lado, até que um funcionário da Disney pediu que eles se retirassem, já que era proibido que alguém sentasse ali. O “pai” desses indianos teve a audácia de falar que o menino tinha problema de coluna e que ele tinha que ficar sentado! Quase que eu viro pra ele e falo que eu tenho quase 30 graus de escoliose, estava em pé há um tempão e que eles estavam incomodando as minhas costas com os empurrões deles. Avá!

Não dei brecha pra nenhum indiano nem ninguém, e começou a parade! Eu cheguei a lagrimar um pouquinho, de emoção! Eu não acreditava que eu estava ali, assistindo o desfile que eu sempre sonhei ver! Quando eu era criança, mesmo querendo muito, eu não acreditava que algum dia eu iria para a Disney (nem para Paris, nem para a Rússia, nem para a Itália, e olha no que deu). Parecia que eu tinha voltado a ser criança!

Eu fiquei dando tchauzinho para os personagens, ficava gritando pelo Pateta, pela Branca de Neve, pelo Pluto e pra todo mundo que eu tinha! Foi a melhor sensação do mundo!

Para completar o dia, voltamos ao hotel para jantar com a Cinderela (bjs) e ainda voltamos no Magic Kingdom para um fast pass e também para assistirmos o Wishes, que é o show de fogos de artifícios ali no castelo da Cinderela.

Chegamos bem na hora do início do Wishes e assistir aos fogos foi INCRÍVEL! Voltei a ser criança de novo! Próximo ao fim do Wishes, fomos direto ao Fast Pass, onde tiramos fotos com a Branca de Neve e a Bela Adormecida, e fomos em alguns brinquedos ainda. Para a nossa surpresa, a Electrical Parade iria acontecer ainda, às 23h. Geralmente ela acontece antes do Wishes, mas não sei por que ela aconteceu depois.

A melhor coisa foi que a Electrical Parade aconteceu quando o parque já estava vazio. Eu juro que no máximo haviam umas 100 pessoas dentro do parque. Foi bem tranquilo e pudemos ver tudo! Fora isso a Electrical Parade é linda demais! Todas as alegorias são ornamentadas com luzes de LED coloridas, dando um outro efeito para a parade tradicional, a Celebrate a Dream Come True. E sinceramente a sensação era que essa parade era exclusiva, pela quantidade de pessoas no parque. Olha que esse dia não tinha Magic Hours.

Seguem as fotos que eu tirei da Celebrate a Dream Come True e do Wishes! As fotos da Electrical Parade não ficaram boas! Não tinha levado a câmera boa nesse dia…

Cinderela e o Príncipe

Cinderela e o Príncipe

Sininho

Sininho

Anna e Elsa

Anna e Elsa

Capitão Gancho

Capitão Gancho

Tiana

Tiana

Rapunzel, Flynn e a panela

Rapunzel, Flynn e a panela

Tico e Teco

Tico e Teco

Pluto

Pluto

Ariel

Ariel

Pinocchio e Dumbo

Pinocchio e Dumbo

Pato Donald e Margarida

Pato Donald e Margarida

Mérida

Mérida

Mickey e Minnie

Mickey e Minnie

20140513_221157

Wishes

 

20140513_221011

Wishes

20140513_220952

Wishes

20140513_220611

Wishes