Onde se hospedar em Manaus?

Olá, internet! Hoje teremos mais um post da categoria Amazonas, e vou falar sobre um assunto que interessa muita gente que é a hospedagem! Quando se trata de sair de casa, o local que escolhemos para passar o dia (ou melhor, a noite) é de suma importância e pode nos revelar um pouco da característica do viajante.

Pois bem, aqui em Manaus posso dar minha contribuição como moradora, e por conhecer bem os bairros daqui (pelo menos eu acho haha), vou dividir esse post em duas categorias: trabalho e turismo.

Primeiramente, vamos falar de trabalho! Aqui em Manaus temos o Pólo Industrial, localizado majoritariamente no bairro do Distrito Industrial (nome muito criativo, não?). Isso quer dizer que aqui na cidade existem uma série de fábricas de vários setores, notadamente duas rodas, linha branca, bebidas, petróleo e gás, entre outras.

Por causa disso, o fluxo de pessoas de outros estados e países (especialmente os diretores e outros funcionários das fábricas) é muito alto, e normalmente essas pessoas costumam se hospedar no próprio bairro do Distrito Industrial, que possui uma série de hoteis de qualidade e que possuem a bandeiras internacionais, como Holiday Inn, Ibis, Comfort e Novotel.

Outros viajantes mais business que não focam em empresas do Distrito costumam ficar em bairros mais centrais (não confunda central com o bairro do Centro). Esses hoteis mais centralizados se encontram entre os bairros do Parque 10, Nossa Senhora das Graças e do Adrianópolis, que são locais de renda mais alta, e portanto, de melhor estrutura. Por exemplo, durante a Copa e as Olimpíadas, os times de futebol se hospedaram em Adrianópolis.

Além do pessoal business, essas regiões também atraem turistas, (já fazendo aqui a transição entre trabalho e turismo) mas é bom ficar claro de que essa área fica longe dos principais pontos turísticos da cidade, sendo obrigatória a locomoção por carro, táxi, uber, ou por algum tipo de shuttle. Apesar da distância, alguns hoteis da área como o Quality, o Mercury, o Ceasar Business e o Millenium ficam bem próximo a shoppings, e o acesso a bons restaurantes (por exemplo) fica bem mais fácil. Também nessa região ficam hoteis como o Blue Tree, Express Vieiralves, Hotel Adrianópolis e o Ibis budget.

Outro lugar bem procurado por turistas é a Ponta Negra, que muitos aqui consideram o local mais nobre da cidade. O local fica bem próximo ao rio, tendo um complexo tipo um beira-rio com vários quiosques e lojas, e também sempre com vários eventos, especialmente na região do anfiteatro. Ali existem dois hoteis, o tradicionalíssimo Tropical e o Wyndham Garden, normalmente o queridinho das celebridades e políticos.

O Tropical é de longe o hotel mais tradicional da cidade, mas já viveu dias melhores. Mesmo assim, continua sempre deslumbrante! Quando eu era criança, costumava passar os domingos no hotel, onde almoçava, ía ao zoológico e até de vez em quando dava um pulinho na piscina, que possuía aquelas ondas artificiais que achava beeem divertidas! Quando fiquei mais velha, ia jogar tênis de vez em quando lá.

Agora vamos falar do Centro da cidade, que é o local bem procurado por turistas, especialmente os mais aventureiros! Ali que se localizam os principais pontos turísticos da cidade (aka entorno do Teatro Amazonas), e apesar do nome do bairro ser Centro, ele se localiza bem na orla da cidade. Ele leva esse nome por ser o local onde a cidade nasceu, portanto, de onde tudo surgiu.

Ali se encontra uma grande variedade de hoteis e hostels. Confesso que não conheço a grande maioria e não sei sua qualidade, mas aparentemente a maioria deles não possui uma qualidade tão boa quanto em outras regiões da cidade. Mesmo assim, alguns dali parecem se destacar como o Boutique Hotel Casa Teatro e o Taj Mahal, que tem um restaurante giratório no topo. Existem também hostels de qualidade na região, e para tirar dúvidas (dos hostels e de outros hoteis do Centro), consulte as opiniões do Trip Advisor.

Uma dica para quem vai se hospedar no centro: muito cuidado. Infelizmente ali é uma das regiões mais perigosas da cidade, especialmente à noite.

Enfim, se você chegou aqui, muito obrigada! Espero que esse post tenha sido útil e aproveite sua estada aqui na cidade! :)

Como escolher um bom hostel

Os famosos albergues, ou simplesmente “hostels” estão cada vez mais caindo no gosto dos viajantes, simplesmente por oferecer preço e comodidade em um só fator. Obviamente não é qualquer hostel que oferece tudo que procuramos, mas algumas dicas podem nos ajudar a escolher aquele que nos proporciona o melhor custo-benefício.

Sair por aí só com uma mochilinha nas costas e pronto! :)

Sair por aí só com uma mochilinha nas costas e pronto! :)

1. Observe o acesso.
Antes de reservar qualquer hostel, é indispensável que você saiba onde ele se encontra e como faz para acessá-lo. Fazer a reserva aliada a um mapa que mostre possíveis linhas de metrô/ônibus ajuda bastante. Vai que acontece algum imprevisto que te deixa perdendo tempo procurando hostel enquanto você poderia estar aproveitando a cidade de uma outra maneira?

2. Faça a reserva em sites confiáveis.
A grande maioria dos hostels (especialmente os mais confiáveis) está disponível em sites como o hostelworld.com ou o hostelbookers.com. A reserva é feita online e super simples, em apenas alguns cliques. Alguns desses sites cobram uma taxa de reserva (coisa de 2, 3 dólares/euros) enquanto outros não o cobram pelo serviço.

3. Jogue o nome do hostel no Google.
Jogando no Google, acabamos por descobrir recomendações e detractors de hostels por aí. Querendo ou não, depoimentos de viajantes são essenciais na hora de escolher o destino final ou aonde você vai se hospedar.

4. Próximo do máximo de coisas possível.
Um hostel próximo a grandes atrações turísticas da cidade é cômodo na hora de turistar. Apesar da experiência de pegar transporte público no exterior ser bem interessante, de certeza economizamos tempo para conhecer mais coisas!

5. Compare os preços.
Sabe quando dizem que o barato sai caro? Talvez um barato demais levante algum tipo de suspeita. Para isso, nada que uma boa pesquisada resolva.

6. Segurança.
Saber como seus artigos são protegidos em caso de alguma emergência talvez não seja a primeira coisa que viajantes procurem. Hostels que oferecem armários individuais, cofre e até uma sala vigiada para deixar malas e afins são bem mais seguros.

7. Utensílios.
Geralmente os hostels oferecem roupa de cama, edredom e afins para as camas. Já produtos e artigos de higiene como toalhas, sabonete, shampoo e afins são mais raros de se encontrar, enquanto alguns hostels podem cobrar pelo serviço. Na dúvida, leve seus próprios artigos de higiene pessoal.

Ainda mais: o que um hostel pode oferecer de interessante!

  • Wi-fi gratuito: especialmente no mundo de hoje, é super difícil não conviver com internet! Pelo menos pra mim, sem internet me sinto na idade da pedra.
  • Escada e elevador: carregar malas pesadas em uma escadaria não é nada interessante. Pelo menos a minha experiência foi traumática.
  • Bar e lounge: alguns hostels oferecem bares e festas de integração dos hóspedes. Geralmente quem se hospeda em hostel tem a mente aberta e gosta de conhecer novas pessoas e ter novas experiências. Essas festas são bem interessantes, e recomendo!
  • Café da manhã: já fiquei em hostels que por um preço bem pequeno, simplesmente um banquete era oferecido! Com um bom jeitinho brasileiro, deu até pra fazer um sanduíche e levar pra comer depois.

Considere o hostel para uma próxima viagem! Toda experiência é bem vinda!

Partiu Budapeste!

Uma das coisas que eu mais adoro é escrever! Sempre gostei de escrever contos, cartas, e muito mais. Também gosto muito de escrever por aqui. Eu sinto uma nostalgia tão boa toda vez que me lembro de algum fato, alguma história que se passou comigo em algum lugar! É como se eu estivesse respirando aquele ar, e sentindo aquele lugar. E também é verdade que eu ainda preciso compartilhar mais da minha experiência em outros lugares por aqui. Às vezes fico pensando que situação contar, como contar, e às vezes minha memória falha com alguns detalhes, justamente por que não consigo atualizar meu blog em tempo real aonde quer que eu esteja. E nesses últimos dias não consegui escrever mais nada por aqui justamente pelo meu conturbado período de provas na faculdade. Ontem tive três, sendo duas ao mesmo tempo (e de uma matéria complicada ainda).

Mas dessa vez vai ser diferente (espero)! Amanhã é o meu voo em direção à Budapeste! :) :) Vocês não imaginam o quanto eu estou feliz (e nervosa) com essa viagem! Não sei nem o que esperar de lá. Pensei em vários mínimos detalhes que podem ser úteis para mim nessa aventura.

Por exemplo, eu sou meio neurótica com respostas. Não recebo um posicionamento do meu buddy há mais de uma semana, e no fundo, estou morrendo de medo que ele me esqueça no aeroporto. Como eu vou chegar mais ou menos de noite lá, eu já tentei me precaver e até reservei uma noite num hostel lá (pra te ver essa neura!) em caso de imprevistos. Também estou levando dois celulares, já que lá na Rússia, o que eu tinha simplesmente parou de tocar e/ou vibrar (!!!!) e eu tinha que adivinhar quando que iriam me ligar.

Também estou levando algumas roupinhas de frio. Tá que a primavera  já tá chegando, mais ainda corre o risco de temperaturas mínimas baixas, como de 1 ou 2 graus. Fichinha pra alguém que já pegou -30 graus, mas a minha resistência ao frio passou completamente depois de passar mais de 1 ano no calor beleza de Manaus. Acho que a pessoa que vai me buscar no aeroporto vai ficar meio desconfiada comigo, usando um casaco de frio, botas e afins. Hehe.

Enfim, vou tentar escrever meus relatos aqui, em tempo real! Caso eu lembre de outra situação interessante, também vou postar aqui. Bem, então amanhã tem #partiuBudapeste!!