8 motivos para você se hospedar na Recoleta

Olá, internet! Buenos Aires é um destino que atrai muitos brasileiros, e não é por menos. A cidade é linda, cheia de lugares interessantes pra visitar, comemos comida boa e tudo isso é bem aqui pertinho! Existem muitas opções de hospedagem na capital argentina, e nesse post vou explicar alguns motivos pra você escolher a Recoleta como o lugar onde você vai descansar.

1. O bairro é seguro

Quando algumas pessoas procuram onde se hospedar em determinado lugar, o fator que mais pode se destacar é a segurança do local. Claro que outras variantes como preço e localização são fortes e nos ajudam a determinar com mais segurança qual hotel/hostel comporta nossas necessidades, mas segurança parece ser um fator primordial pra muita gente.

A Recoleta é um dos bairros mais seguros de Buenos Aires (“impressionamente turistamente” falando), pelo menos foi o mais seguro em que caminhei. Não senti necessidade de ficar desconfiando da minha sombra, como aconteceu na Calle Florida ou em La Boca.

2. Tem muitas opções de hospedagem

O bairro da Recoleta possui uma série de hoteis e hostels. Esse fator já ajuda (pelo menos em teoria, né) a ter preços mais competitivos por causa da concorrência. Também já indica que a área possui alguns hoteis de redes internacionais, que agradam a muitos.

p1140416

3. Comida boa

A Recoleta possui muitas opções de bares e restaurantes! Para uma pessoa que gosta de comer e beber como eu (risos), ficar num bairro tão movimentado assim é uma mão na roda, haha.

Os preços são variados, existem dos mais caros aos mais baratos. A variedade de comidas é grande também: pizzas, petiscos, sanduíches, carnes (muita carne); então o lugar pode agradar a muitos gostos!

4. Comprinhas!

Às vezes os lugares que possuem muitos restaurantes nas proximidades também possuem lojas! Com a Recoleta não é diferente, e dá pra fazer muitos tipos de compras sem precisar pegar um carro.

Bem pertinho do meu hotel ficava o Recoleta Mall, que é um shopping bem importante da capital argentina (é pequeno para os padrões brasileiros, mas me ajudou muito lá!). Me lembro que o Hard Rock Café também fica em outro centro comercial – vi uns objetos de decoração lindos lá, mas não pude trazer.

20160911_161931

Foto conceitual: ombro. haha

5. Pontos turísticos

Tem algumas pessoas que gostam de ficar num lugar bem localizado quanto à presença de pontos de interesse importantes da cidade. Alguns lugares notórios de BA ficam na Recoleta, e isso ajuda muito!

Eu conseguia ir a pé do meu hotel para alguns lugares como a Floralis Genérica, o Cemitério da Recoleta, o MALBA, a livraria El Ateneo e outros! Na época que fui, o clima estava bem ameno, então caminhar era uma delícia!

6. Os parques

A Recoleta é cheia de parques! Não sei vocês, mas amo parques! Se fico perto de um parque, depois de um dia cansativo eu me estiro no chão e ao mesmo tempo que descanso eu aprecio o momento!

Muitas pessoas fazem o mesmo, então é legal observar o movimento, ver quem frequenta tal lugar e se der, como alguma coisinha ali mesmo! (nem que seja um sorvete, um biscoito, haha)

20160911_104846

7. O local é agradável

Caminhar pela Recoleta de fato é muito gostoso! O trabalho de paisagismo no bairro de maneira geral é ótimo, e agrada a maioria das pessoas que o visitam! O bairro é muito arborizado, limpo e esteticamente bonito (meu gosto)!

Uma das coisas que mais me encantavam era a quantidade de pessoas passeando com seus cachorros! Era um cãozinho mais lindo que o outro!

8. Economia com dinheiro do táxi

Para concluir, é importante economizar dinheiro em Buenos Aires! A cidade é relativamente cara (independente do bairro que você fica), e economizar é sempre bom! Tem muitos táxis no bairro, mas de peso em peso, você já teria guardado bastante dinheiro.

Como dá pra fazer muita coisa a pé, já sabemos onde isso vai dar.

A flor genérica de aço

Olá a todos! Preciso dizer que eu fiquei apaixonada pelo bairro da Recoleta, em Buenos Aires! Parecia que cada rua me lembrava um pouco de Paris: bistrôs nas calçadas, gente bonita, pessoas passeando com seus cachorros e uma arquitetura exuberante!

Acompanhe também: Visitando o cemitério da Recoleta

O bairro em si já possui muitos pontos altos, lojas diversas, shoppings e atrações turísticas importantes, tipo o Cemitério da Recoleta. (Inclusive eu já fiz um post sobre este lugar por aqui!) Um dos pontos turísticos mais conhecidos da cidade é a Floralis Genérica, estrutura de aço localizada na Plaza de las Naciones Unidas.

Strike a pose!

Strike a pose!

O que é

A Floralis Genérica é uma grande flor de aço inoxidável que fica na Plaza de las Naciones Unidas, uma área verde de quatro hectares no bairro da Recoleta. Essa escultura foi dada (diz que) de presente pelo arquiteto Eduardo Catalano e ficou pronta no ano de 2002.

Segundo o próprio Catalano, essa escultura “é uma síntese de todas as flores e também é uma esperança que se abre a cada dia”. O nome também tem um sentido prático: Floralis é referente às flores, e Genérica, uma forma de representar todas as flores que existem.

Essa grandiosa escultura é cercada por um espelho d’água, que possui duas funções: estética e proteção.

Foto conceitual: ombro. haha

Foto conceitual: braço. haha

Detalhe e manutenção

Talvez a característica mais marcante da Floralis Genérica é que a escultura é planejada para abrir e fechar de acordo com a incidência da luz solar, como uma flor de verdade! Durante o dia a flor permanece aberta, e quando a noite chega, sem luz do sol, a escultura fecha, emitindo uma luz vermelha.

Em 2010 esse mecanismo de abre e fecha parou de funcionar devido a uma preocupação de possível dano à escultura devido a uma instalação incorreta. Em 2015 o problema foi resolvido e até o presente momento a Floralis Genérica continua abrindo e fechando de acordo com a iluminação natural do dia.

Informativo sobre a Plaza de las Naciones Unidas

Informativo sobre a Plaza de las Naciones Unidas

Como chegar até lá?

A Floralis Genérica fica bem próxima ao Cemitério da Recoleta, inclusive podendo fazer parte do mesmo dia de visitas. Saindo do cemitério:

  • dobre à esquerda em direção à av. del Libertador;
  • ali você atravessa uma espécie de parque, que possui uma feirinha alguns dias;
  • siga até uma ponte pedestre que atravessa a av. del Libertador (já dá para ver a Floralis Genérica dali!);
  • assim que você desce desta ponte, a faculdade de Direito com uma imensa escadaria estará a sua direita;
  • siga em frente até a entrada do parque!

Vale a pena ir até lá?

Como o nosso hotel era muito próximo da Floralis Genérica, deixamos para fazer esse passeio bem no fim da tarde e foi ótimo! O dia não estava muito quente, o céu estava lindo, super azul, e adorei o clima do lugar.

Aquele lugar lembrou um pouco dos meus domingos em Budapeste fazendo piquenique nos parques com meus amigos. Bateu uma saudades sem tamanho! Estiquei meu casaco na grama e fiquei lá deitada aproveitando o momento!

Acompanhe também: Tardes em Margitsziget

A Floralis Genérica também fica bem próximo ao Aeroporto Jorge Newbery (o Aeroparque – AEP), e sempre algum avião passava ali ao lado após sua decolagem.

Decolagem do Aeroparque <3

Decolagem do Aeroparque <3

Mas claro que a flor é linda e imensa! Com 23 metros de altura e 32 de diâmetro quando aberta, não dá para parar de admirar essa belíssima escultura! Entrada é gratuita e vale a pena a visita.

Visitando o cemitério da Recoleta

Nessa viagem à Buenos Aires fiquei hospedada na Recoleta, local nobre da cidade que possui vários parques, lojas, bares e restaurantes. Somente por isso, o bairro em si já tem muitos atrativos que chamam a atenção dos turistas, mas existe outro lugar onde a visita é imprescindível a quem visita a cidade: o cemitério da Recoleta.

Ali estão enterradas diversas personalidades do país, como ex-presidentes, políticos, ganhadores de prêmios Nobel e pessoas da alta sociedade portenha.

Pode parecer mórbido, mas o passeio no cemitério foi muito agradável e interessante. Ali, muitas famílias da alta sociedade Argentina possuem seus grandes – e muito bem cuidados – mausoléus, onde descansam em paz para a eternidade. Também achei um excelente lugar para tirar fotos!

p1140416

p1140428

p1140439

20160910_153927

Como todo cemitério, existem algumas histórias curiosas e inclusive relatos de fantasmas de andam por ali. Posso citar rapidamente algumas das mais famosas:

  • A dama de branco: Rufina Cambaceres era uma jovem que viveu na virada do século XIX que dizem que “morreu duas vezes”. Existem várias versões de sua história, sendo a mais famosa, a descoberta de um caso da sua mãe com seu namorado, o que a fez desmaiar e nunca mais acordar. Outros dizem que a mãe, ao chamar a filha para uma festa, descobriu seu corpo morto no chão.
    Dizem que ela morreu duas vezes pelo fato de que ela possivelmente foi enterrada viva (modo de dizer pois neste cemitério, as pessoas não são enterradas, e sim só colocadas). Isso se dá pelo fato de que, dias após o sepultamento, funcionários do cemitério achavam que o mausoléu estava estranho. Ao abrirem o caixão, arranhões  foram encontrados do lado de dentro, e o corpo estava fora do lugar.
  • A noiva: Eliza Brown era uma moça que estava noiva de um rapaz chamado Francis Drummond. Este foi lutar na Guerra da Cisplatina, e acabou morrendo durante uma batalha. Ao receber a notícia da morte do amado, ela se jogou no Rio da Prata usando seu vestido de noiva, o que deu fim trágico a essa história.
    Seus restos mortais estão em destaque, numa caixa verde feita de bronze.
  • A avalanche: Liliana Crociati faleceu em Innsbruck, na Áustria, em 1970. Ela estava em lua de mel com seu marido quando uma avalanche soterrou o hotel onde estavam dormindo. O marido acabou sobrevivendo, e o mais curioso é que seu cachorro Sabú morreu na mesma hora da avalanche, em Buenos Aires. Até hoje o túmulo é frequentemente ordenado com flores.
  • O funcionário: David Alleno trabalhava como cuidador no cemitério da Recoleta. Ele economizou o dinheiro de uma vida de trabalho quase inteira para comprar um túmulo ali, e diz que ele se matou para poder estrear o túmulo. Oi?
  • Evita: Talvez a personalidade mais famosa para olhos brasileiros, a ex-primeira dama argentina Eva Perón está sepultada ali, porém nem sempre foi assim. Após sua morte decorrente de um câncer de útero agressivo em 1952, seu corpo ficou exposto por cerca de três anos para que os argentinos pudessem homenageá-la.
    Em 1955 com a queda de Perón, seu corpo sofreu uma espécie de peregrinação, com a missão de ser sepultado anonimamente. Ela acabou sendo enterrada na Itália sob uma outra identidade, mas seu corpo retornou à Argentina em 1976, onde finalmente foi sepultada no túmulo da família Duarte, e lá permanece até hoje.

Seguem mais fotos abaixo!

p1140443

p1140438

p1140432

p1140437

p1140414

p1140430

p1140449

A entrada é gratuita, assim como as visitas guiadas que acontecem à tarde. O cemitério localiza-se na Av. Junín, 1760.