A rua mais sinuosa do mundo – Lombard Street

Olá pessoal! Ainda tenho muitas coisas para falar sobre São Francisco, dentre elas uma das atrações mais conhecidas da cidade: a Lombard Street. Localizada no bairro de Russian Hill, essa é uma das principais ruas de San Fran, mas um pequeno trecho dela ganhou fama mundial.

Essa rua é super sinuosa, com 8 curvas muito fechadas! Parece desenho animado e vou já explicar como isso aconteceu!

(Spoiler do post: as fotos que tiramos da Lombard Street foram todas em família, por isso, as fotos que postarei aqui vou tirar da internet).

Sanfran 61 bg 032605.jpg

Fonte: Wikimedia Commons

A rua

Quando pensamos em San Francisco já imaginamos uma série de coisas, especialmente a quantidade de ladeiras presentes na cidade – herança que vem principalmente dos filmes no meu caso. Muitas ruas do bairro de Russian Hill são assim – e inclusive me perguntava como existiam pessoas que conseguiam estacionar em ruas tão íngremes!

Dentro do carro, passeando pelo bairro, cheguei a ver um senhorzinho idoso carregando duas sacolas (aparentemente pesadas) subindo uma dessas ladeiras sem aparente cansaço.

E uma parte da Lombard Street se localizava numa dessas ladeiras, fato que incomodava os moradores dali. Eram os anos 1920, e as pessoas queriam comprar carros, mas aquele trecho era impróprio para automóveis. Meio que por causa disso também, o valor das propriedades ali era mais baixo que em outros lugares.

A inclinação da rua beira os 27 graus, que é muito íngreme! Um engenheiro chamado Clyde Healy propôs um design diferente para a rua: ela teria curvas ao invés de uma ladeira reta. Em 1922 a rua ficou pronta: a cidade de São Francisco pagou a obra e os moradores teriam a responsabilidade de cuidar dela depois.

Lombard Street in San Francisco 1933:

Fonte: Pinterest

Dito e feito! Além da curvatura que chama a atenção, as casas e seus jardins ajudam a tornar a Lombard Street hiper fotogênica! Essa ideia valorizou imensamente as casas da região, e foi muito decisiva ao tornar a Lombard Street um dos pontos mais conhecidos de São Francisco!

Como cheguei até lá e tempo de duração

No meu caso, eu fui de carro e todo o trajeto foi muito tranquilo – só colocar o endereço no GPS que ele já calculou a rota para passar pela rua. Descer a rua mais sinuosa do mundo foi muito divertido!

Depois estacionamos nosso carro depois da esquina com a Hyde Street e ficamos um tempo lá tirando fotos nossas.

Como já devem imaginar, o passeio não é tão demorado. Eu diria que no máximo, descendo a rua e tirando fotos, a visita dura uma meia hora, com folga. Por não exigir muito tempo, é super válido encaixar com outros passeios em São Francisco, de preferência em lugares próximos como o Fisherman’s Wharf.

Fonte: Google Street View

Fonte: Google Street View

Uma tarde no Pier 39

Olá a todos! Quando fomos a São Francisco, listamos uma série de lugares que pretendíamos conhecer, e muitos deles bem diferentes entre si tipo a Union Square, Chinatown, Lombard Street, Alcatraz, Golden Gate, Japanese Tea Garden, Haight Ashbury, entre outros.

Um dos lugares pretendidos era o Pier 39, local turístico na orla de São Francisco que possui uma série de lojas e restaurantes, e vou já contar como foi essa tarde por lá.

 

Placa indicativa no Pier 39

Placa indicativa no Pier 39

Então, a programação para aquele dia envolvia visitar Alcatraz, depois almoçar em algum lugar no Pier 39, e em seguida iríamos conhecer o resto da atração. Pois bem, primeiramente seguimos nosso roteiro e visitamos Alcatraz, e acabamos passando um bom tempo na ilha. O ponto de partida até esta prisão sai do Pier 33, uns 5 minutinhos de caminhada a partir do Pier 39.

Acompanhe também: Visita em Alcatraz

Mapa do Pier 39

Mapa do Pier 39

Como nosso ingresso para Alcatraz era para as 12:30 e considerando que passamos pelo menos umas duas horas visitando a prisão mais conhecida do mundo, imagine que já fomos almoçar bem tarde. Ao voltar para o continente a prioridade era encontrar um restaurante, e como estávamos em São Francisco, queríamos frutos do mar.

Enfim, escolhemos o Wipeout Bar & Grill, mais ou menos próximo do início da entrada do Pier 39. Tinha muita gente comendo ali, e geralmente partimos do pressuposto de que “se tá cheio, é bom”, e acabamos acertando! Pedi um combinado de salmão, peixe espada e camarão grelhados, e achei delicioso! Foi a minha primeira vez comendo peixe espada e achei sensacional!

Esse prato tava MUITO bom!

Esse prato tava MUITO bom!

Depois do almoço, caminhamos por toda a extensão do Pier 39, e adorei muita coisa que vi pelo caminho! Vou listar aqui alguns destaques:

O carrossel que fica no Pier 39 é lindo! Ele tem dois andares, é bem decorado, e as crianças adoraram passear lá! Ele foi pintado na Itália e possui vários desenhos, dentre eles, atrações turísticas de San Fran como a Golden Gate e a Lombard Street.

Carrossel do Pier 39

Carrossel do Pier 39

Vocês lembram do filme “Quero ser grande” que o Tom Hanks fica dançando em cima de um piso/teclado musical gigante? Essa foi a inspiração para a Musical Stairs: cada degrau emite um som de teclado quando pisado! É bem divertido (até para os adultos) subirem e descerem essas escadas!

Musical stairs

Musical stairs

A Marina do Pier 39 possui mais de 300 docks para pessoas que tem interesses em deixar seus barcos lá mediante aluguel. Isso não atrai tanto os turistas, mas rende várias fotos boas.

Marina

Marina

O Hard Rock Café de São Francisco fica localizado bem na entrada do Pier 39. Para quem quer fugir de frutos do mar e comer um tradicional sanduíche, ali é a melhor escolha. Mas se não for pra comer, pelo menos vá para o gift shop da loja!

O Pier 39 possui várias lojas de lembrancinhas de São Francisco. Comprei muitas coisinhas legais lá, com o intuito de colocar na minha prateleira de coisinhas de viagem. O meu favorito é o mini bondinho.

O bondinho de São Francisco ao lado da Mafalda, do mate e de Hagia Sofia

O bondinho de São Francisco ao lado da Mafalda, do mate e de Hagia Sofia

Uma loja que adorei foi a Candy Baron, que como o nome já diz, vende doces. Ali tem todo tipo de doce possível e imaginável, e minha vontade era de sair provando de tudo um pouco!

dscf2046

Doces!

Tinham tantas outras lojas que entrei e não tirei foto! Fora isso, vale a pena ressaltar o Aquarium of the Bay: o plano era visitá-lo, mas desistimos em cima da hora pelo fato de que já iríamos visitar o Monterey Bay Aquarium (então pra quê visitar dois aquários pra ver a mesma coisa?). Mas como falei em outro post, acabamos não visitando o Monterey Bay Aquarium também, haha. Moral da história: visite o Aquarium of the Bay! Os relatos que vejo em outros sites parecem ser muito positivos.

Acompanhe também: Algumas horas em Monterey

Pier

Pier

Então é isso! Passamos horas muito agradáveis visitando Alcatraz e o Pier 39, e é uma visita muito recomendada. Uma dica é levar bastante dinheiro! Os motivos são principalmente dois: ali é uma zona turística, então especialmente os restaurantes vão ser um pouco mais caros que outros lugares, mas nada tão absurdo; e claro, existem tantas besteirinhas pelo caminho que dá vontade de comprar tudo!

A foto icônica: Golden Gate

Cada cidade possui seu ícone, sua representação, sua imagem símbolo. No caso de São Francisco, quem fica com o papel de ícone é a Golden Gate, ponte suspensa que liga a cidade ao norte da Califórnia. Nesse post vou falar sobre como foi minha visita até lá, assim como curiosidades sobre a bela ponte.

Vista

Vista

São Francisco é uma cidade que dispensa comentários! De todas as cidades dos Estados Unidos que conheci, com certeza San Fran é a minha favorita por uma série de motivos, e aqui se encontram alguns:

  • a localização privilegiada entre a Baía e o Oceano Pacífico;
  • a mistura entre os estilos: natural X alta tecnologia;
  • abundância de parques e áreas verdes;
  • conexão com o mar, seja na culinária, arquitetura e outros.

Mesmo com concorrência forte, a Golden Gate se sobressai dentre todas as outras atrações da cidade. “É só uma ponte”, podem dizer, mas sua estrutura colossal ao mesmo tempo impressiona e encanta.

Acompanhe também: Até São Francisco

Como e onde tirar fotos?

São Francisco se encontra numa pequena península, então é possível de observar a Golden Gate de quase todas as partes da orla. Como possuímos pouco tempo na cidade (e realmente há muito o que fazer), decidimos escolher um só lugar para tirar nossas fotos. Para tanto, nos recomendaram um vista point logo após a travessia da ponte.

O que é um vista point? É um ponto onde você consegue ter vistas incríveis de determinado lugar. É tipo um mirante.

É impressionante ver São Francisco e Oakland tão pequenininhas assim

É impressionante ver São Francisco e Oakland tão pequenininhas assim

Então fomos lá e atravessamos a Golden Gate. É emocionante passar lá pela primeira vez, por se tratar de uma ponte tão famosa! Não sabia o que observar primeiro: se era a estrutura da ponte, a cor laranja universal ou a linda Baía de São Francisco.

Atravessando a GG

Atravessando a GG

Esse vista point não é longe do fim da travessia da Golden Gate. É uma das primeiras saídas do lado direito, estacionamos o carro e começamos a tirar fotos.

O dia estava nublado. Por isso a Golden Gate estava encoberta, vista da cidade

O dia estava nublado. Por isso a Golden Gate estava encoberta, vista da cidade

Nós atravessamos a Golden Gate de carro, mas é totalmente possível de caminhar por toda sua distância (1 milha, ou 1,6 km) a pé. Numa foto um pouco mais acima é possível de perceber isso.

Esse vista point que fomos é bem tranquilo: possui algumas pessoas, mas nada que deixe o ambiente lotado ou desagradável. Lembro aqui que é um ângulo de vista: existem outros lugares recomendados para tirar fotos com a Golden Gate. Um lugar que me falaram bem foi Crissy Field, no Presidio.

Golden Gate vista do mirante

Golden Gate vista do mirante

Curiosidades sobre a ponte Golden Gate

– A ponte recebeu esse nome deivido ao estreito que separa a Baía de São Francisco com o Oceano Pacífico: o Estreito de Golden Gate.

– Inicialmente, muitos criaram oposição pela construção da ponte. Alguns afirmavam que a estrutura tiraria a beleza natural do estreito, enquanto outros que tinham envolvimento com empresas de ferry boats que transportavam carros para o outro lado temiam pela segurança de seu negócio.

– A construção da ponte começou em 1933 e a inauguração foi em 1937. Só que a primeira vez que alguém propôs a ideia de ter uma ponte ali foi em 1872.

– A Golden Gate foi pioneira em segurança do trabalho. Numa época que muitas mortes ocorriam em acidentes de construção, medidas importantes como instalação de redes e uso de roupas de proteção foram utilizadas. Mortes ainda ocorreram, mas em número reduzido.

– Um terremoto aconteceu durante as construções, em 1935.

– Falando em terremotos, ela foi projetada para aguentar tremores de até magnitude 8.0. Ela também aguenta rajadas de vento de mais de 100 km/h.

– A cor da ponte é Laranja Internacional. Existem algumas teorias sobre a escolha dessa determinada cor, e a que eu mais apoio é a que esse tom de laranja combinaria mais com o ambiente.

– A ponte só fechou poucas vezes em toda a sua história. Três vezes foram por causa dos ventos fortes que batem na região.

– Cerca de 1500 suicídios já aconteceram na Golden Gate, fazendo com que esta ocupe uma infame primeira posição nessa categoria.

Espero que tenham gostado! Em breve, postarei mais coisas sobre San Fran! :)

Golden Gate vista do mirante

Golden Gate vista do mirante

 

Visita em Alcatraz

Um dos lugares mais icônicos dos Estados Unidos é a prisão de Alcatraz, localizada na baía de São Francisco, na Califórnia. O lugar atrai milhares de turistas de todo o mundo, e oferece uma grande oportunidade de saber mais da história dos Estados Unidos, vista por um ângulo diferente. Vou contar um pouco como foi a minha experiência na ilha, assim como algumas dicas de quem pretende visitá-la. :)

Vista de Alcatraz do ferryboat

Vista de Alcatraz do ferryboat

Decidimos visitar Alcatraz logo no nosso primeiro dia “de facto” em San Francisco. Tínhamos alugado um carro, para termos um pouco mais de conforto por causa das crianças e estacionamos num edifício garagem ali perto do Pier 39. Lembrando que estacionamentos em San Fran geralmente são meio salgados e escassos.

Placa de entrada

Placa de entrada

Do estacionamento fomos andando até o Pier 33, onde se vende os ingressos para a excursão na ilha. Eles podem ser comprados online ou lá mesmo, e acabamos escolhendo a segunda opção. Acabei lendo em alguns sites que é melhor comprar com antecedência, devido à alta demanda e pelo fato destes se esgotarem rápido. Compramos o nosso ingresso no mesmo dia, sem filas, com o embarque marcado para 30 minutos depois. Nada mal.

Por apenas USD 30 por pessoa você tem o translado, o audioguia e pode ficar por tempo indeterminado na ilha (claro, até a hora do último ferry diurno sair de lá).

Algum tempo depois, entramos na fila para embarcar. Tiramos uma foto, que depois compraríamos por 25 USD para manter de lembrança. Eu gostei da foto e quis mesmo comprar. :P

Foto de lembrancinha da visita <3

Foto de lembrancinha da visita <3

Como estávamos com o carrinho para os meus priminhos, acabamos ficando na parte de baixo do ferry, mas sem arrependimentos. O trajeto do continente até a “The Rock” leva uns 15 minutos, e sempre com belas vistas pelo caminho. Apesar da aura sombria envolvendo a prisão é notável se destacar que aquele local é privilegiado com toda a visão bonita de San Francisco, da Golden Gate, da Baía e tudo mais. Vale adicionar a presença das gaivotas, o que dão mais um tempero a esse lugar.

Vista da Baía

Vista da Baía

Chegando lá, é possível andar por algumas trilhas que levam a lugares interessantes: a Water Tower, a Power House, a Morgue, a Lighthouse, o Officers’ Club e quando eu fui, tinha uma espécie de apresentação de um documentário, e algumas fotos e objetos do lugar na sua “época áurea”. Fica a dica também que a ilha é cheia de altos e baixos, e se prepare para andar! Mas o ponto mais visado pelos turistas é a Cellhouse, que é onde se encontram as celas e onde se passaram todas aquelas histórias famosas. Chegando lá é possível pegar audioguias grátis em português, que contam detalhes interessantes da história da prisão.

The water tower

The water tower

Você caminha naqueles corredores, olhando para as celas, ouvindo os relatos dos audioguias e logo você consegue imaginar como aqueles detentos viviam. Em alguns momentos chega a ser até angustiante saber dos detalhes das rebeliões, mortes e fugas (apenas 3 presos conseguiram fugir de lá!). É possível também de entrar em algumas celas e tirar fotos, e também verificar as condições precárias nas quais esses criminosos viviam.

Cara de chateada na cela de Alcatraz

Cara de chateada na cela de Alcatraz

Algumas das celas, inclusive são “mobiliadas”, tentando retomar o dia-a-dia dos prisioneiros e como eles viviam. O clima é meio tenso e dá pra sentir aquele clima pesado no ar, mas sem mais coisas.

Eu também comprei um guia com algumas histórias e mapas por USD1, super tranquilo. É bom lembrar que não se vende comida na ilha, ou seja, vá bem alimentado para lá.

Contando a história da "Batalha de Alcatraz"

Contando a história da “Batalha de Alcatraz”

Para pegar o ferry de volta, existe uma timetable com os horários disponíveis de embarque. Apenas uma empresa faz os trajetos de ida e volta, de forma bem tranquila e organizada.

Como disse, fomos de dia, mas para quem quer conhecer um pouco mais aprofundadamente a história de Alcatraz, existe um night tour com um guia especial, e vagas limitadas. Queria muito ir nesse, mas a minha tia ficou com medo, rs.

Corredores

Corredores

Fomos em Abril e o clima estava ótimo e como disse, sem uma fila enorme, mas tinha bastante gente lá. E vale dizer que o dinheiro gasto com os ingressos foi um excelente investimento. Belas vistas, aula de história e cultura, e também, histórias para contar.